sábado, 28 de novembro de 2020

Finlândia e Japão estudam navios ferry, movidos a hidrogênio

Um número crescente de projetos procura desenvolver tecnologias de energia baseadas em hidrogénio que possam ser comercialmente viáveis ​​para a indústria naval. Entre os projetos em andamento está um na Finlândia que estuda a produção de hidrogénio verde para uso em ferries. Entretanto uma parceria público-privada foi formada recentemente no Japão para estudar e desenvolver células a combustível de hidrogénio para a indústria de navegação comercial.


HySHIP-da-Noruega
                                  HySHIP da Noruega um protótipo de navio ro-ro de hidrogênio //Photo//Wilhelmsen

Havyard desenvolve células de combustível de hidrogénio para navios de grande porte


Um dos campos de estudo é o hidrogénio verde. Na Europa, eles procuram se unir ao setor de produção de energia eólica offshore para produzir hidrogénio a partir de energia renovável. Impulsionado pela energia eólica, o conceito é que o processo de eletrólise que divide a água nos elementos de hidrogénio e oxigénio criaria energia renovável.

Na Finlândia, a empresa de energia Flexens Oy está concluindo um estudo de viabilidade que se concentra na criação de hidrogénio verde que seria usado para abastecer os ferries que operam no arquipélago de Aland. Devido às excelentes condições para a produção de energia eólica em Åland, a Flexens espera que o hidrogénio verde possa atingir custos de produção competitivos com os combustíveis fósseis. O estudo de viabilidade visa combinar a produção de hidrogénio verde com o abastecimento dos ferries da região.



Com 90 ilhas habitadas e uma população de 30.000 habitantes, a região depende dos seus ferries. Um estudo descobriu em 2015 que o transporte marítimo foi responsável por cerca de 70 por cento das emissões de Aland. O estudo estimou que as emissões chegam a 753 mil toneladas equivalentes de dióxido de carbono por ano.

O estudo de viabilidade, que deverá estar concluído dentro de poucos dias, fornece a primeira estimativa de viabilidade técnica e económica do conceito que abrange a produção de hidrogénio a partir de um parque eólico e a utilização do hidrogénio em células a combustível para mover os ferries no arquipélago de Åland. Para a próxima fase do projeto, a Flexens trabalhando com o Governo de Aland apresentou um pedido de subvenção ao Fundo de Inovação da UE para fazer o projeto avançar para investimentos. Prevê-se que o projeto possa ser realizado com as primeiras aplicações das tecnologias possíveis em 2024.



No ano seguinte, 2025, uma parceria japonesa espera operar seu primeiro navio de célula a combustível de hidrogénio. O plano prevê um ferry de 30 metros, capaz de transportar 100 pessoas a velocidades de mais de 12 mph. Kansai Electric Power, Iwatani, Namura Shipbuilding, o Banco de Desenvolvimento do Japão e a Universidade de Ciência e Tecnologia Marinha de Tóquio estão colaborando no estudo de viabilidade para o navio movido a células de combustível de hidrogénio. O projeto também incorporará o desenvolvimento do abastecimento de hidrogénio para o navio.


“Aqua” mega iate de luxo movido a hidrogénio


Fonte//MaritimeExecutive

Sem comentários:

Publicar um comentário