sexta-feira, 6 de novembro de 2020

Cargueiro "Southwester" abandonado ao largo da Figueira da Foz

O cargueiro “Southwester”, de 5.400 dwt, pediu auxílio por volta das 00h30 na quinta-feira, relatando uma inundação repentina na sala de máquinas. Na altura, ela estava localizado a cerca de 40 milhas náuticas da Figueira da Foz. Os seus tripulantes, em número de 14, foram resgatados ainda naquela manhã por outro navio mercante, o “EM Hydra”, e foram transportados em segurança para o porto de Leixões (Porto) por volta das 1030 horas.



Southwester
Photo//Kiosque da aviação


"World Voyager" , segundo navio de cruzeiro construído em Portugal


O “Southwester” ainda está a flutuar e não há perigo de naufragar, disse o porta-voz da Marinha Portuguesa, comandante Nádia Rijo. A embarcação está se afastando gradualmente da costa e as autoridades em articulação com o armador para efetuar um reboque com recurso a dois rebocadores.

O “Southwester” está carregado de aço e não se acredita que a sua condição represente qualquer risco ambiental, disse a Marinha Portuguesa.

O “Southwester”, construído em 1998, tem bandeira em Vanuatu.Durante sua última inspeção de controlo realizada no final de setembro no Porto de Pireu, foram encontradas nove deficiências relacionadas ao cumprimento do código ISM, limpeza da casa de máquinas, provisões da tripulação e segurança contra incêndio, entre outras.

Nos últimos cinco anos, o navio acumulou um total de 134 deficiências e duas detenções.




O “Southweter” foi construído em 1998 na China pelos estaleiros Jiangzhou Union Shipbuilding, e já teve os nomes anteriores

 

“Anna Lisa” (2016)

“Anna” (2012)

“Funchalense” (2007)

“Caroline Shulte” (1999)

“Magdalena Sghulte”(1998)




                                          Video Força Aerea Portuguesa/Kiosque da Aviação

 

Características

Número IMO      9126728

MMSI    214182728

onelagem bruta 4150 toneladas

Peso morto        5400 toneladas

Comprimento    100 m

Largura 16 m

Ano de construção          1998


Bill Gates pretende introduzir a energia nuclear no transporte marítimo




Sem comentários:

Publicar um comentário