quarta-feira, 2 de setembro de 2020

Noruega vai desenvolver navios ro-ro autónomos com emissões zero


Uma nova iniciativa norueguesa está se juntando aos esforços para desenvolver navios de navegação autónomos de próxima geração. Este novo esforço visa projetar e lançar duas barcaças ro-ro comerciais que vão operar cruzando o fiorde de Oslo, substituindo o tráfego tradicional de camiões. A meta é substituir dois milhões de quilómetros de transporte rodoviário, resultando em uma economia de 5 mil toneladas de CO2 por ano.



Asko-autonomous-broadside
Photo //Kongsberg

A Kongsberg Maritime and Massterly, uma joint venture entre a Kongsberg e a Wilhelmsen, desenvolverá e gerirá os navios da nova geração da ASKO, uma distribuidora de alimentos norueguesa. Os dois navios totalmente elétricos serão equipados cada um com a tecnologia necessária para emissão zero e operação não tripulada pela Kongsberg Maritime, enquanto a Massterly garantirá a gestão do navio e as operações seguras de seu Centro de Operações Remotas baseado em terra.




O navios, que devem ser entregues no início de 2022, foram projetados pela Naval Dynamics e serão construídas no Estaleiro Cochin, de propriedade do Estado, na Índia. A funcionalidade que permite a operação autónoma será implementada e testada após a chegada na área operacional no fiorde de Oslo. Pelas regulamentações e pela necessidade de comprovar a tecnologia, prevê-se que os dois navios operem inicialmente com tripulação reduzida, antes de passarem para viagens não tripuladas.


A ASKO, um dos maiores distribuidores de alimentos da Noruega, atualmente transporta seus produtos em mais de 800 camiões por dia. Com seus armazéns no lado oeste do fiorde de Oslo e o centro de distribuição no lado leste, o transporte rodoviário é o meio atual de ligar suas operações. Os novos navios ro-ro substituirão os veículos atuais por uma alternativa de transporte com emissão zero que também buscará provar tecnologias autónomas.


Asko-autonomous-broadside
Photo //Kongsberg


De acordo com o anúncio, a ENOVA também apoia o projeto, incluindo a infraestrutura portuária necessária, com 119 MNOK, em linha com o compromisso da sociedade norueguesa de reduzir as emissões e transferir o transporte rodoviário para o mar onde for viável.
Como a operação ASKO está dentro da jurisdição costeira da Noruega, as Autoridades Marítimas Norueguesas (NMA) também devem estar satisfeitas de que um nível de segurança suficiente foi alcançado antes de emitir uma aprovação de operação para essas embarcações. A NMA irá, portanto, acompanhar o projeto por meio de uma avaliação de risco detalhada, com base nas diretrizes IMO 1455 com relação a projetos equivalentes e alternativos, nova tecnologia, verificação e aprovação para operação. A DNV GL também apoiará esse processo como um terceiro independente.





Sem comentários:

Publicar um comentário