domingo, 23 de agosto de 2020

Baleária converteu o "Sicilia" a GNL, nos estaleiros WestSea Viana Yard


Na sequência da nova politica da Baleária, que em 2012 fazer do GNL o seu principal combustível, o ropax “Sicilia”,foi remodelado no WestSea Viana Yard em Portugal, tendo os seus motores MAN9L48 / 60, sido convertidos para combustível duplo 9L51 / 60DF.



Photo//CruiseMapper

Stena Line anuncia medidas para garantir segurança nos seus ferries



Foi tambem instalado um tanque de GNL com capacidade de 425m3, o que lhe dá uma autonomia de 1.100 milhas náuticas.
Foi também instalado um sistema de monitorização de consumo de combustível e emissão de gases, subsidiado em 50% pelos recursos da CEF Transportes. Esta é a primeira fase do projeto de uma futura forma controle da frota que permitirá uma gestão mais eficiente das operações e das embarcações em diversos aspetos, como segurança, manutenção preventiva de equipamentos e eficiência comercial.




Em 2022, cinco navios da frota terão esse sistema de monitorização instalados.
A Baleária já tem o “Hypatia de Alejandria” e o “Marie Curie”, construídos recentemente já usando GNL. Converteu os Ropax, “Sicilia” “Bahama Mama”, “Nápoles” e “Abel Matutes” e pretende remodelar proximamente, o “Hedy Lamarr” e o “Martin i Soler”.
Tem em construção, o “Eleanor Roosevelt” que será o segunda ferry de alta velocidade movido a GNL do mundo, sendo o primeiro o “Francisco” da Buquebus.




Estreia do "Mestre Jaime Feijó" na Praia da Victoria



Sem comentários:

Publicar um comentário