domingo, 3 de maio de 2020

Carnival concentra navios para repatriar tripulantes devido ao COVID-19

O repatriamento de tripulação tem sido um grande desafio para todos os operadores de navios na era COVID-19, e os navios de cruzeiro têm mais tripulantes por navio do que qualquer outro tipo de navio.
A Carnival Cruise Line encontrou uma solução abrangente para esse problema. Em vez de desembarcar os tripulantes nos EUA e envia-los em voos fretados para casa, está navegando para as Bahamas com seus próprios navios. O plano parece resolver uma situação de divergência com os Centros de Controle de Doenças dos EUA sobre os termos e garantias para o desembarque da tripulação nos Estados Unidos. Também reduzirá os custos salariais num momento em que as linhas de cruzeiros não têm receita operacional.



Carnival
Photo //Carnival

MS "Greg Mortimer" com 60% de infetados com o COVID-19


Nos próximos dias, dezoito navios da Carnival Cruise Line  encontrar-se-ão numa posição fora das Bahamas. Os tripulantes selecionados serão transferidos entre esses navios. Após a transferência, nove dos navios partirão com mais de 10.000 tripulantes, para devolvê-los aos seus países de origem. Os nove navios restantes fundearão nas Bahamas ou no Panamá com tripulação reduzida.
A segurança e o bem-estar dos membros da nossa equipa continuam sendo uma prioridade. Dada a paragem das nossas operações, estamos comprometidos em levar os nossos tripulantes para casa em segurança para suas famílias. Sinceramente, agradecemos-lhes pelo seu trabalho duro, paciência e compreensão durante esse processo. Também gostaríamos de agradecer ao governo das Bahamas pelo apoio a esta operação, bem como ao CDC, Guarda Costeira dos EUA, Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA e agências portuárias locais ”, disse Christine Duffy, presidente da Carnival Cruise Line.


Os tripulantes que voltarão para casa foram submetidos a uma verificação de saúde e foram aptos para viajar pela equipe médica da Carnival, afirma a empresa. Ao longo da longa viagem, será medida a temperatura aos tripulantes todos os dias.
Antes da Carnival Cruise Line interromper as operações a 13 de março, sua frota de 27 navios tinha cerca de 29.000 tripulantes a bordo. Desde então, repatriou mais de 10.000 tripulantes em voos. Cerca de 6.000 tripulantes serão repatriados por fretamentos aéreos ou pelos três navios que já partiram da Austrália e do porto de Long Beach. 



Carnival
Photo//Carnival

Singapura aloja os trabalhadores em navios/acomodação para combater o COVID-19


Após essas operações, a frota de Carnaval será reduzida para cerca de 3.000 tripulantes necessários para a tripulação mínima em cada navio. (Em conjunto, todas as marcas operadas pela empresa-mãe Carnival Corporation têm cerca de 70.000 tripulantes no mar, informou a empresa em sua última audiência de estágio da MARPOL.)
À medida que o esforço de repatriamento continua, a Carnival Corp. enfrenta uma nova investigação do Comitê de Transporte Doméstico sobre suas políticas, comunicações e tomada de decisão em saúde durante o início da pandemia. O presidente do Comitê, Peter DeFazio (D-OR), pediu à Carnival toda a correspondência e documentação relacionada à sua resposta ao COVID-19.
Em resposta, a Carnival comfirma que está cooperando com o comitê e compartilha seus objetivos de proteger a saúde pública e garantir o cumprimento das normas.


Quatro mortos e dois casos COVID-19 a bordo do navio de cruzeiro MS “Zaandam”




Fonte//MaritimeExecutive



Sem comentários:

Publicar um comentário