domingo, 31 de maio de 2020

Recuperação do foguete da Sapce-X, Vídeo:

A empresa de voos espaciais SpaceX colocou com sucesso dois astronautas americanos na Estação Espacial Internacional em órbita, terminando uma longa estagnação no programa espacial tripulado dos Estados Unidos. É o primeiro voo espacial tripulado da ISS a partir do solo dos EUA em nove anos e o primeiro envio de astronautas à ISS realizada por uma empresa comercial.

Como parte da evolução do lançamento da SpaceX, está a recuperação o primeiro estágio do foguete impulsor, o Falcon 9 que pousou uma barcaça no mar. O vídeo da cena indica condições difíceis, com alguma ondulação no momento do pouso, estando a barcaça com acentuados balanços.
Depois que os astronautas completarem sua estadia a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS), eles voltarão à Terra usando a mesma cápsula. Assim como nas missões da Apollo, o pouso será no mar e o navio de recuperação da SpaceX, Go Searcher,  recuperará a cápsula numa posição na costa atlântica da Flórida.




Os navios movidos a energia nuclear


O sistema de recuperação e reutilização com base no mar para o Falcon 9, permite à SpaceX reduzir custos e oferecer seus serviços a um preço competitivo para clientes comerciais e governamentais. Outras empresas comerciais de lançamentos espaciais usam impulsionadores descartáveis, de modo que as despesas com o custo do foguete são sempre perdidas.
O CEO da SpaceX, Elon Musk, disse aos repórteres que estava entusiasmado com o sucesso da missão. "Estou realmente muito emocionado neste dia, tanto que fica meio difícil falar ", disse Musk em entrevista no sábado. "Faz 18 anos trabalho para este objetivo, por isso é difícil acreditar que isso aconteceu, acho que isso é algo particularmente importante nos Estados Unidos, mas agrada a todos os que, em todo o mundo, têm o espírito de exploração".


Ulstein projeta navio a hidrogénio para operações offshore




Fonte///MaritimeExecutive


sábado, 30 de maio de 2020

Plataforma oceânica, flutuante aproveita a energia eólica, solar e das ondas

A empresa alemã Sinn Power concebeu uma plataforma marítima flutuante que consegue produzir energia simultaneamente a partir da energia das ondas, eólica e solar.


plataforma-flutuante-de-energi- renovável
Photo//Sinn Power

Plataforma eólica flutuante mais eficiente do mundo irá ser montada nas Canarias


A plataforma híbrida combina turbinas eólicas, painéis solares e coletores de energia das ondas para produzir eletricidade. A inovação foi concebida como um sistema modular que pode ser especificado ou usar todos estes recursos, dependendo do local onde é implementada e das suas necessidades energéticas.
Projetada para operar com ondas até seis metros de altura, a plataforma consegue produzir energia de ondas de até dois metros sem muitas oscilações, graças a uma série de flutuadores que movem hastes de três metros consoante a ondulação.


Sistema-modular-sinn-power

 Photo//Sinn Power

HydroWing apresenta um conceito inovador que produz hidrogénio verde no mar


Cada unidade flutuante é composta por quatro conversores de energia das ondas integrados e consegue gerar até 24 kW em condições ideais. Em cada ponto da junção é possível colocar turbinas eólicas de 6 kWp e cobrir toda a superfície com painéis solares.
A plataforma usa sensores elétricos com classificação IP68 que transmitem dados para os centros de diagnóstico, o que ajuda a detetar anomalias.



A durabilidade é, no entanto, o grande problema desta plataforma, já que o mar pode ser um parceiro comercial muito traiçoeiro, tanto pela sua imprevisibilidade, como pelo facto de ser extremamente corrosivo.

Equinor perfura poço para armazenar Co2 no fundo do mar



Fonte//New Atlas


quinta-feira, 28 de maio de 2020

Soluções de propulsão Wärtsilä para ferries de alta velocidade

O grupo de tecnologia Wärtsilä fornecerá as soluções de propulsão para um novo ferry de alta velocidade com 115 metros de comprimento. O navio está sendo construído pela Austal no estaleiro australiano nas Filipinas para o operador dinamarquês Molslinjen.


ferry-de-alta-velocidade
Photo// Austal Ships Pty


Stena Line projeta navio totalmente eletrico



 Ele estará equipado com quatro motores Wärtsilä 31, reconhecidos pelo Guinness World Records como o motor diesel de 4 tempos mais eficiente do mundo, e quatro jatos de água Wärtsilä WXJ1500SRI de alto desempenho. A Wärtsilä também fornecerá seu sistema de controlo de ponte ProTouch de última geração. O acordo com a Wärtsilä foi feito em maio deste ano.


Este grande ferry será capaz de transportar 1610 passageiros e 450 carros ou 617 metros de pista para camiões e 257 carros, e terá uma velocidade de serviço operacional de quase 37 nós.
A série de jatos de água Wärtsilä WXJ foi introduzida em 2019 como sucessora da bem-sucedida série LJX da empresa. É a primeira vez que os jatos de água WXJ e o motor Wärtsilä 31 são usados ​​em conjunto para um ferry de alta velocidade rápida, oferecendo um nível sem precedentes de desempenho, confiabilidade e qualidade.


Wärtsilä-31-de-16-cilindros-e-jatos-de-água-WXJ1500SRI
Photo// Wärtsilä 


O equipamento Wärtsilä será entregue no estaleiro a partir de julho de 2021 e o ferry tem entrega programada para no primeiro trimestre de 2022.
Operará na rota Molslinjen Bornholm entre Ystad e Rønne na Dinamarca.


Incat Tasmania assina contrato para a construção de um novo ferry


Fonte//Wärtsilä



terça-feira, 26 de maio de 2020

Norsepower instala Rotor Sail em ferry da Scandlines


A Norsepower Oy Ltd., fornecedora líder global de sistemas auxiliares de propulsão eólica renovável, e a Scandlines, líder de mercado em operação de ferries ecológicos, anunciaram hoje a instalação bem-sucedida da Rotor Sail Solution da Norsepower. A montagem foi concluída em algumas horas, durante uma imobilização programada do ferry híbrido da Scandlines, MV “Copenhagen”.


Ferry-mv-copenhagen
Photo//Scandlines


A Wärtsilä e a Norsepower assinam acordo nos serviços de propulsão eólica



O MV “Copenhagen”, é um ferry de passageiros híbrido que opera entre Rostock, Alemanha e Gedser, na Dinamarca. Foi adaptado com uma unidade Norsepower Rotor Sail medindo 30m de altura e 5m de diâmetro. A instalação foi concluída em poucas horas, após uma preparação meticulosa nos últimos meses.
 A solução Norsepower Rotor Sail Solution, que pode ser instalada em novas embarcações ou adaptada em navios existentes, é uma versão modernizada do rotor Flettner, um cilindro giratório que usa o efeito Magnus para aproveitar a energia eólica para impulsionar um navio. Estima-se que a instalação, a quarta concluída com sucesso pela Norsepower, reduza as emissões em cerca de 4-5%, em média, sem comprometer a velocidade o tempo de viagem.
 O Rotor Sail é a primeira tecnologia de propulsão eólica auxiliar comercialmente verificada e com dados verificados para a indústria marítima global. A solução é totalmente automatizada e deteta sempre que o vento é forte o suficiente para fazer funcionar o Rotor Sails automaticamente.



“Viking Glory”, um dos navios mais ecológicos do mundo


Fonte//Scandlines


segunda-feira, 25 de maio de 2020

Mau tempo faz navio perder 43 contentores e danificar 74

No domingo, 24 de maio, por volta das 10h45 da manhã, a Autoridade Australiana de Segurança Marítima (AMSA) recebeu uma notificação de que um navio porta-contentores havia perdido carga no mar.

Ás 6h10, o navio porta-contentores “'APL England” da Singapura APL teve um problema técnico, ficando temporariamente sem propulsão, debaixo de mau tempo, a 73 quilômetros a sudeste de Sydney.
A energia do navio foi restaurada passados alguns minutos, mas durante esse período o navio informou que estava dando grandes balanços, causando o colapso das pilhas de contentores e provocando a queda de vários.







O comandante do “APL England” informou que tinham caído ao mar 40 contentores, e 74 tinham ficado danificados. Seis contentores encontram-se a estibordo fora das pilhas.
O navio estava viajando de Ningbo, na China, para Melbourne, na Austrália.


Draga faz explodir provável bomba da Segunda Guerra Mundial


Fonte//AMSA



domingo, 24 de maio de 2020

"Rebecca S" no Porto Santo na tarde de sábado


Depois de ter estado em operações de carga no Caniçal, o porta contentores “Rebecca S” zarpou as 17.40 rumo ao Porto Santo, onde atracou por volta das 20.30.
De imediato começaram as operações de descarga e carga que se prolongaram até as 0.00h, tendo depois o navio partido para Lisboa.

Rebecca-S-Caniçal
Rebecca S no Caniçal: Photo// Pedro Amora


Rebecca S em manobras no Caniçal




O “Rebecca S” é a mais recente aquisição da GSLines, e depois da reparação a que foi submetido apresenta um novo visual, com as gruas pintadas de azul, e o logotipo da GSLines pintado no costado e no casario por baixo da asa da ponte.

Rebecca-S-Porto-santo
Rebecca S atracando no Porto Santo: Photo //Elvio Leão

Estreia do “Rebecca S” no Porto Santo


O porta contentores está a fazer a ligação quinzenal com o Porto Santo, anteriormente efetuadas pelo ”Funchalense 5”, escalando a ilha dourada normalmente á sexta-feira, sendo que esta semana sofreu um atraso.


Rebecca-S-Porto-santo
Rebecca S em operaçoes de descarga: Photo// Elvio Leão


Grupo Sousa adquire "Rebecca S" ex "Samba"



sexta-feira, 22 de maio de 2020

NOAA prevê temporada de furacões no Atlântico acima do normal em 2020


Os meteorologistas dizem que as condições estão criadas para uma temporada de furacões no Atlântico acima do normal em 2020.
Os meteorologistas do Centro de Previsão Climática da NOAA divulgaram suas perspetivas para 2020 prevendo uma possibilidade de 60% de uma temporada acima do normal, uma possibilidade de 30% de uma temporada quase normal e apenas 10% de uma temporada abaixo do normal. A temporada de furacões no Atlântico vai de 1 de junho a 30 de novembro.



Furacao-lourenzo-2019
Photo//Wikipédia

Os pequenos e elegantes "carreireiros"


O Centro de Previsão Climática, uma divisão do Serviço Nacional de Meteorologia, está prevendo de 13 a 19 tempestades, sendo que entre 6 a 10 podem tornar-se furacões, incluindo 3 a 6 grandes furacões de categoria 3.
A NOAA observa que uma temporada média de furacões produz 12 tempestades, das quais 6 se tornam furacões, incluindo 3 grandes furacões. A NOAA dá estas previsões com uma confiança de 70%.

Vários fatores climáticos estão contribuindo para atividades acima do normal este ano, incluindo o El Niño e as temperaturas da superfície do mar mais altas que a média, bem como redução do cisalhamento vertical do vento, ventos fracos do Atlântico tropical mais fracos e uma monção aprimorada da África Ocidental. Condições similares vêm produzindo estações mais ativas desde 1995.

A análise da NOAA das condições atmosféricas atuais e sazonais revela a receita para uma temporada ativa de furacões no Atlântico este ano", disse Neil Jacobs, Ph.D., administrador interino da NOAA. "Os nossos especialistas preveem, juntamente com atualizações dos nossos modelos de computadores e tecnologias de observação, previsões precisas e oportunas para proteger a vida e a propriedade".


"Cruzeiro do Canal" no canal do Faial com mau tempo


Fonte//NOAA


quinta-feira, 21 de maio de 2020

Virgin Voyages adia o lançamento do “Valiant Lady”


A Virgin Voyages, a nova linha de cruzeiros que o Virgin Group de Sir Richard Branson planeava lançar na primavera de 2020 anunciou que adiou sua temporada de lançamento devido ao impacto contínuo do coronavírus na indústria de viagens e turismo.
Agora, a Virgin Voyages apontou a data 16 de outubro de 2020 para sua primeira viagem.

Scarlet-Lady
Photo//Ficantieri

Virgin Voyages recebeu o seu novo navio, "Scarlet Lady"


A Fincantieri entregou o primeiro navio da Virgin, o” Scarlet Lady”,  em 14 de fevereiro, e o navio havia concluído as pré-visualizações na Inglaterra antes do início do COVID-19. Uma série de eventos de alto nível planeados para Nova York em marçofoi cancelada abruptamente e o navio foi redirecionado durante sua travessia transatlântica diretamente para Miami. Desde então, o “Scarlet Lady” está em um deslocamento entre o ancoradouro nas Bahamas e PortMiami. 
A notícia do adiamento da entrada da Virgin Voyages ocorre poucos dias depois de relatos de que o Virgin Group da Branson estava iniciando negociações se capitalizar e melhorar a liquidez. A empresa apresentou documentos anunciando sua intenção de vender até 25 milhões de ações avaliadas em cerca de US $ 400 milhões da Virgin Galactic Holdings, empresa de Branson que está no ramo das naves espaciais comerciais.


A primeira grande nova linha de cruzeiros a ser lançada desde há alguns anos, a Virgin Voyages está nos planos as empresariais de Branson há quase 10 anos. Anunciada em dezembro de 2014, a empresa chamou grande atenção devido à reputação da Branson e à abordagem única dos negócios. A construção começou em março de 2017 no primeiro dos quatro navios de cruzeiro de 110.000 toneladas brutas, cada um acomodando 2800 passageiros.
O compromisso total de construção nova da Virgin é de aproximadamente € 3 bilioes, apoiado por um investimento financeiro significativo da Bain Capital no lançamento da nova linha de cruzeiros. Anteriormente, a Virgin Voyages disse que a Bain Capital apoiou totalmente a decisão de adiar o lançamento do negócio de cruzeiros e garantiu ao setor de viagens que a empresa tinha recursos financeiros suficientes.
A Virgin Voyages originalmente planejava começar as operações em abril de 2020 com o “Scarlet Lady” baseado em Miami e navegando para as Bahamas e o Caribe. Seu segundo navio de cruzeiro, o “Valiant Lady”, deveria ser lançado em maio de 2021, navegando no Mediterrâneo. Os outros dois navios estavam programados para serem entregues pela Fincantieri em 2022 e 2023.


“Valiant Lady” irá operar no Mediterrâneo



Fonte//Maritime Executive


quarta-feira, 20 de maio de 2020

Novo navio de cruzeiros de expedição, lançado na Croácia

Enquanto as operações de cruzeiro permanecem suspensas em todo o mundo, o emergente segmento de expedição de luxo do mercado ainda está avançando para apoiar sua expansão futura.
Um dos mais novos navios destinados ao mercado de expedições, o “Ultramarine” , foi lançado em 16 de maio no estaleiro Brodosplit, na Croácia. Com um custo estimado de 106 milhões de Euros, o “Ultramarine” é de classe polar que será operada pela Quark Expeditions.


Lançamento-ultramarine
Photo// Brodosplit

Viking Cruises lança cruzeiros de expediçao


Mantendo o tema das expedições de luxo, o navio, mede 128 metros de comprimento e 21.5 metros de largura, acomodará até 200 passageiros com uma tripulação de 140 pessoas. A embarcação será equipada com uma ampla gama de comodidades, incluindo dois helicópteros bimotores e 20 acessos a Zodiacs de lançamento rápido por meio de duas salas prontas equipadas com armários para cada hóspede secar e armazenar itens pessoais e equipamentos de expedição entre excursões. Os espaços públicos incluirão o Panorama Lounge, dois restaurantes, um bar de degustação de vinhos, um auditório e o Centro de Bem-Estar com spa, sauna e sala de ginástica.
As cerimônias de lançamento ocorreram no estaleiro com eventos especiais para homenagear os trabalhadores que continuaram com a construção durante a pandemia global. O navio foi batizado por Andrea Mutak, chefe de uma organização local que cuida de crianças com deficiência física e problemas de desenvolvimento.


Lançamento-ultramarine
Photo// Brodosplit)

"O lançamento de qualquer navio é complexo e, uma vez em andamento, fica descontrolado até que fique preso aos rebocadores", diz Malcolm Ellis, vice-presidente sênior de operações da Quark Expeditions. "O tempo total envolvido desde a liberação do gatilho até a embarcação parar na água é pouco mais de um minuto ou dois."
Este é o terceiro navio de cruzeiro polar que está sendo construído no estaleiro Brodosplit e um dos mais de 25 navios de cruzeiro que deverão entrar no mercado de cruzeiros de expedição de luxo nos próximos quatro anos. Em 2019, a Brodosplit entregou outro navio de cruzeiro da classe polar, o “Hondius”, para a Oceanside Expeditions, e no final de 2019 começou a cortar aço para um navio irmão que deverá ser concluído em 2021.






A Wärtsilä desenvolve o projeto de um navio de cruzeiro de expedição para a Amundsen Expeditions


Fonte//Brodosplit


segunda-feira, 18 de maio de 2020

Kongsberg Maritime entregou um novo arrastão congelador


O mais recente navio projetado pela Kongsberg Maritime esta pronto para entrar ao serviço. Trata-se de um arrastão congelador de 81,80 m NVC 375 WP chamado “Ilivileq”,  que foi entregue e vai operar nas águas do Ártico.


ilivileq
Photo//Kongsberg Maritime

Finnlines encomenda dois ferries ecológicos Superstar ro-pax


O “Ilivileq” tipifica os princípios sobre os quais a linha NVC foi concebida, combinando uma base econômica e ambientalmente benéfica de baixas emissões e operação com baixo consumo de combustível, e com um bordo livre de altura ideal para garantir a segurança da tripulação, em conjunto com soluções modernas e responsáveis ​​de manuseamento do pescado. O casco hidrodinâmico maximiza a velocidade da embarcação, o conforto e as qualidades de operação no mar. 
A flexibilidade do “Ilivileq” permitirá realizar arrastos pelágicos e de fundo. Esses ativos levam a excelente capacidade e qualidade das capturas, aliadas ao mínimo impacto ambiental.


O sistema de propulsão híbrido do “Ilivileq” reduz substancialmente o uso de combustível e o ruído operacional (a bordo e no oceano), permitindo a escolha entre a propulsão no sistema de tração mecânica ou diesel / elétrica. O navio dispõe ainda da mais avançada tecnologia de redução de óxido de nitrogênio.
Além de equipar a embarcação com tecnologia de propulsão híbrida e geração de energia elétrica, a empresa também forneceu um sistema para manobras (caixa de direção, leme de retalho, propulsor de proa do túnel e controle remoto Helicon X3); um sistema automático ACON que incorpora módulos para gestão de energia e potência, controle de bombas e válvulas e recursos de alarme e monitorização; além de máquinas de convés, incluindo um sistema de guincho elétrico. ”


Wärtsilä assina acordo para implantação de tecnologia inovadora de porta de lemes







domingo, 17 de maio de 2020

USNS Mercy deixa Los Angeles


O navio-hospital USNS Mercy partiu de Los Angeles e voltou ao seu porto de origem em San Diego, encerrando sua missão de sete semanas para ajudar o sistema de saúde da região de LA.

USNS-mercy-departs-LA
Photo//USN


O navio hospital "USNN Comfort"



O USNS Mercy chegou a LA a 24 de março para fornecer aos hospitais da área uma capacidade extra para pacientes não-COVID-19. No entanto, o surto em Los Angeles acabou por ser pequeno, e o navio-hospital ajudou apenas 77 pessoas durante a sua estadia. Mesmo que fosse necessário permanece livre de COVID-19, o USNS Mercy teve um pequeno surto de coronavírus entre sua equipa. Nove marinheiros ficaram infetados com a doença e tiveram que desembarcar para isolamento e tratamento. Outros 750 foram desembarcados para alojamentos em terra e para quarentena própria.

Embora o USNS Mercy tenha partido, cerca de 60 de membros de seu complemento médico ficaram em LA para prestar assistência a pacientes em instalações costeiras, incluindo um local construído especificamente para o isolamento e tratamento de casos leves de COVID.

O navio hospital “USNS Comfort” deixa New York





sexta-feira, 15 de maio de 2020

Plataforma eólica flutuante mais eficiente do mundo irá ser montada nas Canarias


Vai chamar-se PivotBuoy, irá funcionar nas Canárias (Espanha) e será a primeira a contar com o novo sistema de amarração de ponto único (SPM – Single Point Mooring) da X1 Wind.
Este novo sistema de amarração de ponto único, vai permitir reduzir significativamente o custo da energia eólica marítima flutuante e será em breve uma realidade!


PivotBuoy
Photo//Portal Energia


HydroWing apresenta um conceito inovador que produz hidrogénio verde no mar

Plataforma eólica Flutuante PivotBuoy

Esta plataforma eólica flutuante PivotBuoy será a mais inovadora do mundo, e poderá ser vista em águas espanholas. Mais precisamente na zona de ensaios da Plataforma Oceânica localizada nas Ilhas Canárias (PLOCAN).
Este novo sistema de ancoragem permite reduzir o peso da plataforma em cerca de 80% e os custos totais baixam para cerca de 50%, o que faz com que esta nova eólica seja bastante mais competitiva.
O objetivo deste projeto é validar as vantagens do sistema PivotBuoy e outras inovações chave para reduzir os custos de instalação, operação e manutenção, abrindo assim caminho para alcançar os 50€/MWh nos parques eólicos comerciais.
O consórcio liderado pela X1 Wind, e onde também há o contributo de empresas como EDP ou DNV GL, terminaram em março o desenho da PivotBuoy, estando já pronta para ser fabricada, sendo testada com uma plataforma parcial, aplicada a uma turbina Vestas V29.
A ligação à rede elétrica espanhola do primeiro protótipo está prevista para o outono deste ano, e isso porque foi já iniciada a sua construção em Santander (através da empresa Degima, sócio do consórcio), sendo depois montada nas Ilhas Canárias antes de ser instalado na zona de ensaios de PLOCAN. É também nesta zona de ensaios que se encontra instalada a plataforma da Enerocean, de dupla turbina eólica.


ABB e HDF fabricam um novo sistema de célula de combustível para navios



Instalações a maiores profundidades

Outro benefício da tecnologia da PivotBuoy, replicada pela EIT InnoEnergy, que é considerada a pioneira da inovação de energia sustentável na Europa, é que esta plataforma eólica flutuante pode ser instalada a uma maior profundidade, do que a maioria das atuais soluções eólicas flutuantes. Esta tecnologia vem assim abrir permitir o acesso a centenas de locais que antes eram tecnicamente ou comercialmente inacessíveis.
O sistema combina ainda as vantagens do sistema de amarração por ponto único (SPM) com o dos sistemas de plataforma de cabos de tensão (TLP – Tension-Leg Platform) e um desenho estrutural direcionado a favor do vento mais eficiente, permitindo assim uma redução radical do peso das estruturas eólicas flutuantes, quando comparado com outros sistemas semi-submersíveis atuais.
O desenvolvimento deste projeto teve o apoio financeiro Comissão Europeia no total de 4 milhões de euros.


Equinor perfura poço para armazenar Co2 no fundo do mar





quinta-feira, 14 de maio de 2020

Navio de carga à vela recolhe plástico no Pacífico

O veleiro de 140 pés “Kwai” partiu do porto havaiano de Hilo em direção ao Great Pacific Garbage Patch. Lá, sua equipa recolherá cerca de 100 toneladas de lixo plástico e redes abandonadas.
O projeto é liderado pelo Ocean Voyages Institute , sem fins lucrativos, com sede na Califórnia, e com menos de quatro dias de viagem, a tripulação já recolheu uma variedade de detritos plásticos e várias redes. Durante a viagem de 45 dias, a tripulação recolherá lixo com a ajuda de sinalizadores de satélite que foram colocados nas redes por iates voluntários e embarcações comerciais.

Kwai
Photo/Sites Google

A Ocean Cleanup escolhe a DNV GL para certificar a origem do plástico oceânico


Os drones a bordo do “Kwai” permitem que a tripulação do navio encontre os destroços, recupere-os e armazene-os no compartimento de carga do navio para reciclagem e reutilização no final da viagem.
O Ocean Voyages Institute colabora com um grupo multidisciplinar de investigadores financiados pela NASA (FloatEco), liderados pelo Dr. Nikolai Maximenko. Os dados de pesquisa do navio contribuirão para entender a dinâmica do plástico flutuante e sua interação com os ecossistemas marinhos de oceano aberto.

Em colaboração com a Dra. Luca Centurioni, diretora do Lagrangian Drifter Lab da Scripps Institution of Oceanography, o Ocean Voyages Institute também está implantando dispositivos que fornecerão dados oceanográficos e meteorológicos usados ​​na previsão do tempo, calibração de satélites e pesquisas científicas.
O Ocean Voyages Institute iniciou sua iniciativa de limpeza oceânica em 2009 e liderou muitas limpezas bem-sucedidas, incluindo a remoção mais recente de mais de 45,5 toneladas de detritos marinhos no Gyre do Pacífico Norte e nas áreas costeiras durante trabalhos de limpeza em todo o mundo, inclusive nas Ilhas havaianas em 2019.
O navio Kwai normalmente opera no transporte de carga á vela entre o Havaí, as Ilhas Line de Kiribati e as Ilhas Cook do Norte.



Milionario norueguês constroi mega iate para recolher plastico oceanico


Fonte//Maritime Executive



quarta-feira, 13 de maio de 2020

Quinze tripulantes abandonados num navio nas Filipinas


Quinze tripulantes foram abandonados num navio de bandeira espanhola que não tem leme. O navio MV “Celanova” (IMO 9268394),  ficou sem eletricidade, luzes, wi-fi, refrigeração, GPS, luzes de segurança ou proteção, relata a ITF.
                                                                                  


Mv-celenova
Photo//MarineTraffic

Incêndio e explosão em petroleiro, feriu 22 pessoas.


Com as baterias dos telemóveis acabando, a tripulação, está pedindo ajuda urgente, já que a embarcação está sem combustível,  alimentos, água potável e medicamentos.
Somos pessoas fortes, mas estamos exaustos e agora com mau tempo e sem opção de fazer nada se (o) navio arrastar a âncora”, é a mensagem que Pedro mandou para a ITF a 10 de maio. “Espero que segunda-feira possa terminar isso e na próxima semana possamos atracar. Nas condições atuais a nossa situação é muito perigosa. Nós sobreviveremos até segunda-feira. A tripulação dorme no convés, pois não há ar-condicionado, mas as tempestades na noite de domingo obrigaram as tripulaçao a se abrigar no escuro abaixo do convés".


O MV “Celanova, é é um navio tanque de GLP, com tonelagem bruta de 7.600 ton, propriedade da GLOBALGAS SA, Madri, Espanha. A ITF diz que a empresa não paga aos tripulantes há vários meses. O navio-tanque de GLP foi forçado a descarregar sua carga de gás butadieno para outra embarcação em 7 de março, pois estava ficando sem combustível para manter o gás refrigerado.
Tudo começou em 7 de dezembro, quando o navio-tanque teve uma avaria e perdeu o leme na costa das Filipinas. Dez dias depois, foi rebocado e ancorou na baía de Manila. O Controlo do Estado do Porto das Filipinas prendeu a embarcação em 14 de fevereiro, quando as autoridades descobriram que ela estava violando a Convenção do Trabalho Marítimo (MLC) devido a salários não pagos, após notificação da ITF.


Navio graneleiro detido na África do Sul, por atirar clandestinos ao mar



A ITF está solicitando com urgência às autoridades filipinas que permitam que o navio entre no porto para facilitar a assistência do estado de bandeira e da seguradora do navio, a American Club.
As autoridades locais concordaram, mas apenas sob condição de ter um reboque ao lado do navio-tanque e em espera enquanto ele estiver atracado. O reboque tem que ser pago pela tripulação.
"Eu trabalho há mais de 14 anos como inspetor da ITF, lidei com muitos navios abandonados até agora e esta é a primeira vez que alguém pede que a tripulação pague o aluguer de rebocadores", disse Luz Baz, coordenador da ITF na Espanha. “O navio precisa ir para o porto. A tripulação não pode usar o motor. Algo tem que ser feito. A tripulação está desesperada. Eles precisam de combustível, água fresca, provisões, medicamentos, peças de segurança ”, disse ela.
Alguns membros da tripulação espanhola e caribenha estão a bordo desde agosto, outros desde novembro.
Apesar das Filipinas serem signatárias da MLC exigindo que os governos facilitem o repatriamento de tripulação durante o abandono, nada foi feito, diz a ITF, que escreveu para a Organização Internacional do Trabalho solicitando sua intervenção.



Características



IMO : 9268394
Nome : CELANOVA
Tipo de navio - Genérico : Tanker
Tipo de navio - Detalhado : LPG Tanker
Status : Ativo
MMSI : 224991000
Indicativo : ECBX
Bandeira : Spain [ES]
Tonelagem Bruta : 7666
DWT Verão : 7300 t
Comprimento : 120 m
Largura extrema :  20 m
Ano de construção : 2003





terça-feira, 12 de maio de 2020

Qual é o maior navio do mundo?


Ao viajar para o litoral e ver imensos navios cargueiros, talvez  já tenha pensado se existe algo maior e mais monumental do que estava vendo. Porém, como nós adoramos curiosidades, não só pensamos como decidimos descobrir e hoje vamos ver qual é o maior navio do mundo.


Knock-Nevis

O superpetroleiro 'Jahre Viking', posteriormente batizado 'Knock Nevis', o maior navio em comprimento de todos os tempos:Photo//Museu Maritimo

Locais de armazenamento no limite, obrigam navios tanque a esperar para descarregar



Maior navio do mundo: Knock Nevis

O Knock Nevis é uma obra da engenharia, sendo um navio petroleiro ele possui 458,4 metros de comprimento e 68,9 metros de largura. Ele iniciou suas atividades em 1981 como Seawise Giant. Entretanto em 1988 foi bombardeado por caças iraquianos na guerra Irão-Iraque. Depois do ocorrido, foi necessário realizar uma reforma e quando voltou a navegar em 1989, agora o navio se chamava “Happy Giang”. Apenas dois anos depois, ele foi renomeado para “Jahre Viking” e foi por esse nome que se tornou mundialmente famoso.
Em 2004 ele deixou de operar como petroleiro e tornou-se um navio FSO (Floating Storage and Offloading, (Base Flutuante de Armazenamento para Produtos Petrolíferos) sendo então rebatizado, de “Knock Nevis”. Esse gigante é capaz de carregar 564763 toneladas e 674297 metros cúbicos de carga, o que representa 4240865 barris de petróleo (US$39.948.948 na cotação de 12 de maio de 2020). Quando totalmente carregado, o navio tem um calado de 24,5 metros, o que o impede de atracar na maioria dos portos do mundo. A sua propulsão é assegurada por turbinas a vapor e uma hélice com incríveis 9 metros de diâmetro capaz de girar a 85 RPM, atingindo 29 km/h. Ao descrever uma curva á velocidade máxima esta fica com um raio de 3,7 km. Para parar completamente necessita de 10 km. Uma curiosidade interessante é que, os membros da tripulação 40 pessoas, para não perderem tempo, deslocam-se pelo navio usando bicicletas.


HMM-Algeciras
HMM Algeciras, o maior porta contentores do mundo:
Photo//Rivieramm

Stena Bulk e GoodFuels concluem com sucesso teste de biocombustível marinho sustentável



Mas e o HMM Algeciras?

 Talvez tambem já tenha ouvido falar no “HMM Algeciras” e esteja pensando que isto não é verdade. Mas sim é, esse poderoso milagre da engenharia possui, na verdade, o título de maior navio cargueiro do mundo. Ele tem incríveis 399.9 metros de comprimento, 61 metros de largura, sendo a sua capacidade 23.964 TEU, sendo assim o navio que mais transporta mais contentores em todo o mundo!
O “HMM Algeciras” começou a ser construído em 2018 nos estaleiros da Daewoo Shipbuilding and Engineering (DSME), na Coréia do Sul. O HMM Algeciras será colocado no serviço da Far East Europe 4 (FE4) da THE Alliances, com uma rotação de portos começando em Qingdao, Busan, Ningbo, Xangai, Yantian, Canal de Suez, Roterdão, Hamburgo, Antuérpia e Londres, seguido de Singapura pelo Canal de Suez.
A entrega ocorre em um momento mau, pois a pandemia de coronavírus causa problemas no comércio global.
A HMM ingressou na Aliança como membro em período integral a partir de 1º de abril de 2020. Outros membros da aliança incluem Ocean Network Express (ONE), Hapag-Lloyd e Yang Ming.




Navio da Maersk sofre incendio na casa de maquinas



segunda-feira, 11 de maio de 2020

Incêndio e explosão em petroleiro, feriu 22 pessoas.

O petroleiro indonésio “Jag Leela” incendiou-se antes de sofrer duas explosões, ferindo pelo menos 22 pessoas e deixando algumas presas a bordo.



Photo//New Straits Times


Duas explosões abalaram o navio petroleiro Aframax, “Jag Leela”, na manhã de 11 de maio, libertando enormes nuvens de fumo negro no ar e ferindo pelo menos 22 pessoas, de acordo com o chefe de polícia local Dayan, relata a Agence France-Presse no New Straits Times . Uma série de vídeos do YouTube enviados hoje cedo mostravam o navio atracado no estaleiro Belawan, Medan, no Estreito de Melacca, no norte de Sumatra, na Indonésia.




Vídeos do fumo saindo do navio-tanque construído em 1999 foram posteriormente enviados ao YouTube, com relatos de vários trabalhadores desaparecidos, pensando-se estarem presos dentro do navio, enquanto outros 22 trabalhadores foram imediatamente levados para o hospital com queimaduras.
As autoridades locais ainda não determinaram a causa da explosão, disse Dayan à AFP.O incendio propagou-se a uma outra embarcação, e também causou pequenos danos às casas nas proximidades, acrescentou Dayan.
Com uma bandeira da indonésia, o petroleiro da classe Aframax, tem 250 metros de comprimento incendiou quanto estava em reparação no estaleiro.




Fonte//Nst.