quinta-feira, 9 de abril de 2020

MS "Greg Mortimer" com 60% de infetados com o COVID-19

Depois de testar todo o pessoal a bordo, as autoridades médicas uruguaias determinaram que 60% das pessoas a bordo do navio de cruzeiro MS “ Greg Mortimer” possuem o COVID-19, segundo a operadora Aurora Expeditions.


Greg-mortimer
Photo //Ian Duddy

Tripulações estão retidas nos navios devido ao bloqueio do COVID-19



Seis pessoas já foram evacuadas e estão em condições estáveis. Foram feitos testes todos, tanto passageiros como tripulantes, e verificou-se que 81 dos 217 tinham COVID-19. Novos testes foram realizados aumentando o número de positivos para 128, ou cerca de seis pessoas em cada dez. Não há casos de febre a bordo e todos os casos positivos são assintomáticos, de acordo com a Aurora Expeditions. 
Todos os passageiros australianos e neozelandeses do navio provavelmente irão para casa num avião fretado no final desta semana, disse Aurora em comunicado, incluindo aqueles que são positivos para COVID-19. Os passageiros positivos e negativos seguirão sentados em compartimentos separados do avião. A empresa pediu ao governo australiano que aceite esses passageiros por um período de quarentena de 14 dias em solo australiano, e os Serviços de Fronteira da Austrália já conseguiu instalações em Melbourne para esse fim.

A aeronave é um Airbus A340 fretado, que foi modificado especialmente para servir como um avião médico. A tarifa aérea estimada por passageiro seria de cerca de US $ 9.200. Dada essa despesa exagerada, Aurora pediu auxílio ao governo australiano com os custos e está
A empresa também está tentando acordos para repatriar cidadãos americanos e europeus que deram positivo. No entanto, primeiro, eles terão que esperar até ter um resultado negativo. Todos os passageiros positivos para COVID-19 nos EUA e UE permanecerão a bordo do navio e serão testados novamente a cada 2-3 dias, dependendo da disponibilidade do laboratório. Quando esses passageiros COVID-positivos começarem a dar negativo, serão transportados de avião via São Paulo.
Marcelo Gilard, diretor de atendimento pré-hospitalar da empresa privada de saúde uruguaia CASMU, disse à  Rádio Uruguay que espera que o número de casos a bordo do navio aumente com o passar do tempo.
 O Dr. Gilard r embarcou no MS “Greg Mortimer” como coordenador de uma equipe de avaliação médica.



Fonte//Maritime Executive



Sem comentários:

Publicar um comentário