quinta-feira, 30 de abril de 2020

O navio hospital “USNS Comfort” deixa New York


O navio hospital “USNS Comfort” deixou a cidade de New York depois de prestar apoio nos esforços de resposta ao COVID-19 do Departamento de Defesa aos residentes de New York e New Jersey durante o surto de coronavírus.


USNS-comfort-new-york
Photo//REUTERS / Mike Segar

O navio hospital "USNS Comfort"


O “USNS Comfort” esteve atracado no cais 90 na cidade de Nova York desde 30 de março, para prestar auxílio ao sistema de saúde local, devido ao aumento de infetados com o COVID-19. O “USNS Comfort” teve originalmente a missão de tratar doentes que não COVID, mas apenas cinco dias depois, era evidente que, para oferecer o melhor atendimento, seria necessário tratar todos os pacientes, independentemente de terem ou não o vírus.
Para ajudar na troca, os marinheiros do serviço público do Comando Militar de Transporte Marítimo separaram fisicamente a parte COVID do resto do navio, isolando portas e poços de escada no convés principal, reconfigurando o navio para admitir e tratar todos os doentes.


A equipe médica tratou 182 doentes, dos quais 70% eram positivos para COVID-19. Foram efetuados mais de 110 procedimentos cirúrgicos, 540 radiografias e tomografias computadorizadas e 1.300 medicações intravenosas e orais, segundo a Marinha dos EUA.
O “USND Comfort” agora regressa ao seu porto base, na Estação Naval de Norfolk, Virgínia, onde o navio volta ao status de “Pronto 5” para permanecer pronto para tarefas futuras para operações COVID-19 em apoio à FEMA.



Stena transforma o “ Stena Saga” em navio-hospital com capacidade para 520 doentes


Fonte//Gcaptain



quarta-feira, 29 de abril de 2020

Stena Line projeta navio totalmente eletrico

A Stena Line está projetando a sua próxima classe de ferry. O primeiro navio desta nova classe, de linhas futuristas, deverá estar concluído entre 2025 e 2030.

Stena
Photo//FerryEvolution


Os novos super ferries da P&O Ferries



Esta nova classe será totalmente elétrica e terá uma autonomia de 160 quilómetros, graças á instalação de uma bateria de 70MWh.

O navio terá imensos espaços para os passageiros, com enormes vidraças para privilegiar  a luz natural com uma evidente poupança de energia, mantendo a Stena Line o esforço para um transporte mais sustentável e ecologicamente limpo



O maior ferry elétrico do mundo fez a sua viagem inaugural



terça-feira, 28 de abril de 2020

Autoridades portuárias assinam acordo para combater o coronavirus, mantendo os portos abertos


As autoridades portuárias de 20 países da Ásia, Europa, Oriente Médio e América do Norte assinaram um acordo para manter os portos abertos ao comércio no meio do surto de coronavírus
Reconhecendo que o setor marítimo desempenha um papel crítico em manter os fluxos comerciais abertos na luta global contra o COVID-19, a declaração, exige que as autoridades portuárias colaborem e compartilhem as melhores práticas para garantir que as operações portuárias permaneçam ininterruptas, para a movimentação segura das cargas de acordo com as circunstâncias nacionais.


Porto-de-roterdão
Photo//Transportes e Negócios

HMM lançou o maior porta-contentores do mundo


Pelo acordo, as autoridades portuárias estão comprometidas em trabalhar juntas para garantir que os navios mercantes possam atracar nos portos para realizar operações de carga e manter a cadeia de abastecimentos global em funcionamento.
O executivo-chefe da Autoridade Marítima e Portuária de Singapura (MPA), Quah Ley Hoon, disse que o setor está enfrentando novos desafios neste período sem precedentes, tornando a declaração conjunta ainda mais importante.
'O transporte está se afundando em muitas incógnitas e novos desafios (durante o surto de coronavírus). As autoridades portuárias precisam tomar precauções aprimoradas para seus portos e navios, bem como gerir o stress vivida pelos trabalhadores portuários e tripulações'', acrescentou Quah.


Os 20 membros que assinaram a declaração são: Autoridade Portuária de Abu Dhabi, Autoridade Portuária de Antuérpia, Bureau of Port and Harbour Tokyo Metropolitan, Autoridade Portuária de Busan, Autoridade Portuária de Guangzhou, Autoridade Portuária de Hamburgo, Autoridade Marítima e Portuária de Singapura, Montreal Autoridade Portuária, Departamento Municipal de Administração Portuária de Ningbo, Autoridade Portuária da Tailândia (Porto de Bangcoc), Porto de Barcelona, ​​Cidade Portuária de Yokohama, Cidade Portuária de Yokohama, Governo da Cidade Portuária de Kobe, Autoridade Port Klang, Autoridade Port Klang, Porto de Long Beach, Porto de Los Angeles, Porto de Roterdão, Porto de Seattle, Comissão Municipal de Transportes de Xangai e Porto de Le Havre.


Porta contentores"Milano Bridge" embate em pórtico na Coreia do Sul


Fonte//Seanews


segunda-feira, 27 de abril de 2020

O areeiro "João Gabriel"


A extração de areia nos mares da costa sul da Madeira é necessária para a construção civil, e, apesar de nos tempos atuais as dragas (areeiros) utilizadas serem de grandes dimensões, modernas e utilizando o sistema de sucção, nas ultimas décadas do século passado eram um pouco diferentes, utilizando gruas que com baldes de dragagem retiravam a areia do fundo do mar. 


João-Gabriel-no-Funchal
João Gabriel no Funchal Photo// Yvon Perchoc.


O cargueiro "Madeirense"



Muitos ainda se lembram do chiar dos cabos e do roncar das gruas, dos areeiros que descarregavam na pontinha, no sítio onde atualmente atraca o Lobo Marinho, onde diariamente eram descarregadas milhares de toneladas de areia.
Entre esses areeiros havia um, o “João Gabriel” que em 1989 ingressou na frota de areeiros da Madeira. Construido na Alemanha em 1953, como “Sabine”, manteve, este nome até 1962 passando a chamar-se “Heinrich Hupfeld” Em 1974 foi renomeado de, “Le Canisy” nome que deteve até vir para a Madeira e ser batizado de “João Gabriel”.

Nome: JOAO GABRIEL.
Tipo: Draga.
IMO: 5145867.
Bandeira: Portugal.
Donos e Operadores: Empresa de Areias da Madeira Lda.- Funchal, Madeira, Portugal.
Classe: Bureau Veritas.
Ano de Construcao: 1953.
Estaleiro: Schiffswerft Peters Wewelsfleth Peters- Wewelsfleth, República Federal da Alemanha- Casco#64/469.
Comprimento Fora a Fora: 56,88 metros.
Comprimento entre Pp: 52,41 metros.
Boca Maxima: 8,54 metros.
Pontal: 4,60 metros.
Calado: 4,16 metros.
Arqueacao Bruta: 654,00 toneladas.
Arqueacao Liquida: 431,00 toneladas.
Porte Bruto: 909,00 toneladas.
Potencia de Maquina: 213,00 kW (290,00 hp). 1 helice FP.
Potencia de Gerador Auxiliar: 90,00 kW.
Nomes Anteriores: Sabine (01/1953-1962), Heinrich Hupfeld (1962-1974), Le Canisy (1974-1989).
Classificado como existência continuada em dúvida em Agosto de 2010.


Marbella Explorer no Funchal



Informação cedida por Paulo Peixoto



domingo, 26 de abril de 2020

A Wärtsilä desenvolve o projeto de um navio de cruzeiro de expedição para a Amundsen Expeditions


As capacidades internas de projeto de navios do grupo de tecnologia Wärtsilä foram reconhecidas com o objetivo de desenvolver um design personalizado para seis novos navios de cruzeiro de expedição de luxo com capacidade para 200 passageiros.
Os navios serão propriedade da Amundsen Expeditions que também fará a sua operação e serão direcionados principalmente para o crescente mercado chinês. O pedido de projeto á Wärtsilä foi assinado no terceiro trimestre de 2019.

Amundsen-Expeditions’-Wärtsilä-designed-luxury-expedition-cruise-vessels-will-operate-efficiently-in-challenging-polar-and-tropical-conditions
Photo//Wärtsilä

A Carnival Cruise Lines mantem a suspensão de cruzeiros até 27 de junho


Os navios foram projetados para operar eficientemente em águas tropicais e polares. Devido ao ambiente hostil e à localização remota dos destinos dos cruzeiros, atenção especial foi dada para garantir a confiabilidade operacional dos navios ”, diz Markku Miinala, gerente geral de vendas de projetos de navios da Wärtsilä Marine.
A equipe da Wärtsilä trabalhou em estreita cooperação com a Amundsen Expeditions para desenvolver um conceito que atenda às especificações e requisitos precisos do proprietário. Os navios foram projetados para serem equipados com um pacote completo de soluções Wärtsilä, incluindo motores Wärtsilä 32, sistemas de redução catalítica seletiva (SCR) para redução de emissões de óxido de nitrogênio (NOx), propulsão elétrica, o sistema de ponte Wärtsilä Nacos Platinum para navegação e comunicação, bem como soluções de automatização Wärtsilä. O eventual pacote de sobresselentes provavelmente será apoiado num contrato de manutenção de 10 anos, que garantirá a segurança, a confiabilidade e a eficiência das embarcações, além de fornecer garantias de custos para fins de orçamento.


SunStone Ships lança o “MS“Ocean Victory”


O design enfatiza a força da Wärtsilä como um fornecedor completo de soluções. A nossa capacidade de balcão único, que permite que o design do navio seja combinado com um pacote completo de soluções a bordo, permite um design verdadeiramente integrado. Isso faz com que os vários sistemas de bordo funcionem perfeitamente em harmonia para fornecer o nível ideal de confiabilidade e eficiência, mantendo as considerações de custo e tempo sob controle ”, afirma Maikel Arts, gerente geral de negócios de cruzeiros da Wärtsilä Marine.
Temos grande respeito pela experiência da Wärtsilä e pelo amplo portfólio de soluções de alta qualidade. Isso é importante para nós, pois esses navios de cruzeiro são altamente complexos e exigem conhecimentos avançados de design. Os navios de cruzeiro apresentarão todas as cabines externas, suítes presidenciais, jardins de inverno e os mais recentes equipamentos ambientais. 

Agradecemos o apoio contínuo da Wärtsilä nesse projeto ”, diz o capitão Rajko Zupan, da Amundsen Expeditions, que está envolvido ativamente no projeto do navio desde o início do projeto.
A Wärtsilä é um fornecedor líder da indústria de cruzeiros. Com uma rede de especialistas disponíveis em todo o mundo, a empresa pode oferecer suporte aos seus clientes onde quer que operem. Além de seu portfólio de soluções eficientes e confiáveis, a Wärtsilä também oferece o que há de mais novo em design de navios, segurança cibernética, desempenho aprimorado de sustentabilidade e operações preparadas para o futuro.


A Schottel instalará propulsores azimutais no navio de cruzeiro Yangtze



Fonte// Wärtsilä



sábado, 25 de abril de 2020

Navio graneleiro detido na África do Sul, por atirar clandestinos ao mar


O navio graneleiro com bandeira do Panamá, o “Top Grace”, que foi detido na África do Sul no mês passado depois de ter sido atirado ao mar  duas pessoas clandestinas ao largo da costa de KwaZulu-Natal, de acordo com a Autoridade de Segurança Marítima da África do Sul (SAMSA) .


Top-grace
Photo SAMSA

HMM lançou o maior porta-contentores do mundo


Na ultima quinta-feira o navio foi libertado em Richards Bay , mas com na um aviso severo aos navios que atravessam as águas da África do Sul de que eles serão submetidos as maiores penalizações criminais sempre que se verifiquem transgressões ás leis marítimas do país.
Segundo a SAMSA, pensa-se que os dois clandestinos haviam embarcado no navio "Top Grace" enquanto estava atracado em Maydon Wharf, em Durban, na segunda-feira 23 de março de 2020, tendo trepado pelos cabos de amarração e escondendo-se no compartimento da amarra.

Os dois clandestinos, ambos tanzanianos, alegaram que, depois de serem descobertos foram atirados ao mar pela tripulação numa jangada improvisada, com coletes salva-vidas e algumas garrafas de água. Eles disseram às autoridades que passaram dois dias no mar antes chegarem á praia de Zinkwazi, na costa norte de Kwa-Zulu Natal. Após esse incidente, o navio atracou no porto de Richards Bay tendo ficado detido.
O comandante e tripulação foram acusados e condenados por tentativa de assassinato e libertados após o pagamento de uma multa que foi paga em 23 de abril e a detenção do navio foi imediatamente suspensa ”, afirmou a SAMSA em comunicado.

A SAMSA avisou que todos os navios que navegam pelas águas territoriais da África do Sul a todos os navios e operadores de navios que ajam com responsabilidade durante este período de incerteza. O tratamento inadequado das pessoas clandestinas não será tolerado em
SAMSA informou ainda que os navios que naveguem nas águas territoriais do país a não hesitarem em pedir assistência, caso dela necessitem, durante esse período da pandemia global de Covid-19.



Bloqueio na rendição das tripulações cria 'bomba-relógio' no transporte marítimo

Fonte//SAMSA


quinta-feira, 23 de abril de 2020

HMM lançou o maior porta-contentores do mundo

A HMM lançou o navio porta-contentores “HMM Algeciras”, de 24.000 TEU, que passa a ser o maior porta-contentores do mundo.
O navio foi oficialmente batizado durante uma cerimônia privada no estaleiro Daewood Shipbuilding and Engineering (DSME) na Coréia do Sul.


HMM-Algeciras
Photo//HMM

Navio de bandeira Portuguesa “Tommi Ritscher” assaltado no Golfo da Guiné.


O “HMM Algeciras” mede 399,9 metros de comprimento e 61 metros de boca. Com uma capacidade nominal de TEU de 23.964, ganhando assim o título de navio porta-contentores com maior capacidade do mundo.
O navio foi encomendado em setembro de 2018 como parte de um pedido para vinte navios porta-contentores ultra grandes divididos entre os estaleiros da Coreia do Sul 'Big 3' - DSME, Hyundai Heavy Industries e Samsung Heavy Industries.
O HMM Algeciras é o primeiro dos sete que a Daewood Shipbuilding and Engineering está construindo para o HMM. A Samsung Heavy Industries está construindo os outros cinco. Todos os doze estão programados para serem entregues este ano.
A Hyundai Heavy Industries está construindo oito navios de 16.000 TEU a serem entregues no segundo trimestre de 2021.


Porta contentores"Milano Bridge" embate em pórtico na Coreia do Sul


O HMM Algeciras será colocado no serviço da Far East Europe 4 (FE4) da THE Alliances, com uma rotação de portos começando em Qingdao, Busan, Ningbo, Xangai, Yantian, Canal de Suez, Roterdão, Hamburgo, Antuérpia e Londres, seguido de Singapura pelo Canal de Suez.
A entrega ocorre em um momento mau, pois a pandemia de coronavírus causa pboblemas no comércio global.
A HMM ingressou na Aliança como membro em período integral a partir de 1º de abril de 2020. Outros membros da aliança incluem Ocean Network Express (ONE), Hapag-Lloyd e Yang Ming.
A HMM irá reforçar sua presença no setor de transporte global com base numa gestão otimizada de frotas e em nova cooperação com a THE Alliance ”, disse Bae Jae Hoon, Presidente e CEO da HMM.
A partir de 1º de abril de 2020, o HMM deixou oficialmente seu antigo nome Hyundai Merchant Marine, Co. passando a ser HMM, Co.



Wärtsilä fornece design para dois novos navios P&O


Fonte//HMM


quarta-feira, 22 de abril de 2020

A Porto Santo Line implementou um sistema integrado de reservas e check-in marítimos da Carus.

A Porto Santo Line,  empresa que opera entre as ilhas da Madeira e Porto Santo com o ferry Lobo Marinho, usa agora o CarRes para gestão das reservas on-line, agencias de viagens, assim como para passageiros e check-in de veículos.


Ferry-Lobo-Marinho
Photo//Elvio Leão

Incat Tasmania assina contrato para a construção de um novo ferry



 Escolhemos a solução CarRes da Carus porque estávamos certos de que ela atenderia aos altos padrões de qualidade que a Porto Santo Line se esforça para alcançar todos os dias numa linha caracterizada não apenas pelo turismo, mas também no serviço público para residentes, ”afirmou Rui Gouveia, diretor geral da Linha do Porto Santo.

A Porto Santo Line também vai usar o CarRes para gerir  os pacotes que oferece em parceria com os hotéis Torre Praia, Praia Dourada e Luamar Aparthotel.



O navio Lobo Marinho, apenas vai transportar para Porto Santo residentes na ilha


terça-feira, 21 de abril de 2020

Bloqueio na rendição das tripulações cria 'bomba-relógio' no transporte marítimo

Pode haver "acidentes terríveis" no mar se as mudanças da tripulação continuarem  bloqueadas por restrições devido ao coronavírus, disse à CNBC esta semana a Câmara Internacional de Navegação (ICS).
Dos 1,2 milhões de tripulantes embarcados, cerca de 100.000 costumam deixar seus navios todos os meses para cumprir os regulamentos marítimos internacionais que protegem sua saúde, segurança e bem-estar, de acordo com uma declaração conjunta da ICS e da International Air Transport Association.



Porta-contentores
Photo//Piabay///Free-Photos


No entanto, essas mudanças de tripulaçao foram prejudicadas devido à pandemia de coronavírus que matou quase 145.000 pessoas e infetou mais de 2,15 milhões de pessoas em todo o mundo.
"A questão dos marítimos e seu bem-estar é crucial, e se esse problema for prolongado por muito tempo, poderão acontecer problemas de stress e de saúde e, eventualmente, poderá acontecer alguns acidentes terríveis", disse Esben Poulsson, presidente da o ICS.
Devido a restrições impostas pelos governos, não existem voos para os marítimos voltarem para casa ou para portos, enquanto os protocolos de imigração e exames de saúde também estão impedindo as “mudanças de tripulação necessárias”, diz o comunicado.
Ele explicou que alguns funcionários que atravessam fronteiras internacionais para serviço estão sendo afetados por "restrições nacionais projetadas para passageiros e pessoal não essencial" e que "poderiam comprometer desnecessariamente a capacidade das companhias aéreas e das companhias de navegação de manter as cadeias de abastecimentos globais em operação".

Tripulações estão retidas nos navios devido ao bloqueio do COVID-19


As duas associações comerciais estão pedindo aos governos que facilitem as trocas de tripulação de navios, tendo a IATA oferecido a ajuda de companhias aéreas para transportar os trabalhadores marítimos de e para aeroportos designados, para que possam voltar para casa ou substituir outros membros da tripulação.
"Sem querer parecer excessivamente dramático, pensamos que isso é potencialmente um pouco de uma bomba-relógio", disse ele na sexta-feira à CNBC.
"Trabalhamos com a IATA  em várias maneiras de resolver esse problema, mas precisamos que os governos ajam e precisamos que eles ajam agora", acrescentou.
Poulsson disse que o Japão, Hong Kong e Singapura permitiram mudanças de tripulação em "certas circunstâncias".
"Nós apenas precisamos, que outros governos façam o mesmo


Singapura aloja os trabalhadores em navios/acomodação para combater o COVID-19


Fonte//CNBC


segunda-feira, 20 de abril de 2020

Navio de bandeira Portuguesa “Tommi Ritscher” assaltado no Golfo da Guiné.

O navio porta contentores “Tommi Ritscher” com bandeira de Portuguesa foi assaltado por piratas em Cotonou Anchorage, Benin, no Golfo da Guiné.
Os piratas embarcaram no navio 4.785 TEU a partir de uma lancha que posteriormente fugiu quando um navio patrulha se aproximou, deixando os piratas presos a bordo. 


Tommi-ritscher
Photo//Vesseltracker

Piratas sequestram sete tripulantes de porta contentores no Gabão




Acredita-se que parte da tripulação esteja na cidade, mas a empresa de segurança “Dryad Global” indica que oito pessoas podem reféns dos piratas. Estão no local dois navios de guerra, e foi solicitada assistência da Nigéria, que supostamente enviou um barco-patrulha.
Este é o segundo incidente na área este ano e o quinto nos últimos 12 meses. Em fevereiro, nove tripulantes foram sequestrados do navio “Alpine Penelope”, a sul de Cotonou. A Dryad Global diz: “Os incidentes na zona de fundeadouro foram limitados predominantemente a abordagens para fins de pequenos furtos. Nas águas de Cotonou e da vizinha Lomé aconteceram vários incidentes mais graves envolvendo o sequestro de tripulações a uma distância de 40 a 150 milhas náuticas. ”

Apesar do declínio dos incidentes de pirataria em 2019, houve um aumento alarmante de sequestros de tripulantes no Golfo da Guiné, de acordo com o relatório anual de pirataria da Agência Internacional de Transporte Marítimo (IMB) da Câmara de Comércio Internacional divulgado no início deste ano. O número de tripulantes sequestrados no Golfo da Guiné aumentou mais de 50%, 78 em 2018 e 121 em 2019. Isso equivale a mais de 90% dos sequestros em todo o mundo. Na região aconteceram 64 incidentes, incluindo todos os quatro sequestros de navios ocorridos em 2019, bem como 10 dos 11 navios que relataram ter sido atacados.


Fonte//Dryad Global


domingo, 19 de abril de 2020

Locais de armazenamento no limite, obrigam navios tanque a esperar para descarregar

Dezenas de navios-tanque com combustível de aviação e gasolina estão ancorados nos principais centros de armazenamento da Europa, sem conseguir descarregar, já que os tanques em terra estão cheios após o colapso da procura originada pela crise do coronavírus.
Quase 1 milhão de toneladas de produtos refinados estão estacionados em cerca de 30 navios-tanque na costa da Europa, segundo cálculos da Reuters.


Petroleiros-fundeados-em-singapura
Photo//joyfull / Shutterstock


O setor marítimo enfrenta uma nova era do combustível



De acordo com dados de fontes comerciais, os navios-tanque ancoraram perto das refinarias e centros e armazenamento de Amsterdão, Roterdão Antuérpia e em varias partes do Mediterrâneo, enquanto os proprietários das cargas fazem esforços para encontrar compradores ou tanques de armazenamento.
Enquanto algumas embarcações devem atracar nos portos em breve, outras poderão permanecer no mar por semanas devido à falta de espaço de tanques em terra.
O congestionamento de navios aumentou nos últimos dias, segundo uma fonte, podendo afetar os contratos de fretamento de navios.
O nível baixo de água ao longo do rio Reno aumentaram a pressão logística no armazenamento, devido ao facto das barcaças só poderem ser carregadas com 50% da capacidade. A maioria dos navios transporta combustível de aviação, gasolina e nafta, os quais viram uma queda acentuada na procura após restrições ao movimento em todo o mundo para conter a propagação do novo coronavírus. Pelo menos três navios estão transportando diesel, de acordo com os dados.

Dois navios-tanque, o “Stena Polaris” e o “Andrea Victory “ foram fretados nas últimas semanas pela BP para armazenar combustível no mar por dois a três meses, ancorados na costa leste da Inglaterra.
As refinarias em todo o mundo reduziram suas operações e, em alguns casos, fecharam. Como resultado, várias refinarias europeias não conseguiram descarregar petróleo bruto.
Os consultores Rystad Energy preveem que a procura de petróleo na Europa, caia em 2020, para 12,7 milhões de barris por dia, uma redução de 11,2% em relação aos 14,3 milhões de barris por dia de 2019. Eles esperam que a procura de combustível rodoviário na Europa, caia em abril 35%, para 4,7 milhões de barris por dia.
A Agência Internacional de Energia (AIE) previu na quarta-feira uma queda de 29 milhões de barris por dia em abril na procura de petróleo para níveis nunca vistos em 25 anos e disse que nenhum corte de produção pelos produtores poderia compensar totalmente as quedas de curto prazo que o mercado enfrenta.


Lançado o primeiro transportador de hidrogénio liquefeito do mundo





sexta-feira, 17 de abril de 2020

A subsidiária da Fincantieri, Vard ,entra no setor das energias renováveis

A subsidiária da Fincantieri, VARD e uma das principais construtoras de navios especializados, assinou um novo contrato para o projeto e construção de um Service Operation Vessel (SOV) da Ta San Shang Marine Co., Ltd., uma joint venture entre a Mitsui OSK Lines Ltd. (MOL) e Ta Tong Marine Co., Ltd. (TTM).


VARD-4-19
Photo//Vard

ABB e HDF fabricam um novo sistema de célula de combustível para navios


O navio, o primeiro a ser construído para o mercado asiático, foi projetado especificamente para realizar operações de manutenção nos parques eólicos de Greater Changhua por Ørsted, um grupo dinamarquês, líder mundial em energia eólica e renovável offshore.
Após o contrato para uma nova unidade de piscicultura, anunciada a 1º de abril, o pedido de hoje é mais uma etapa da estratégia de diversificação da Vard, pois marca a entrada da empresa no promissor setor de energia renovável, ao lado de operadores de alto nível, como MOL e TTM , duas das principais empresas de transporte do mundo.

Equinor perfura poço para armazenar Co2 no fundo do mar


O setor de energias renováveis ​​offshore está passando por uma fase de expansão geográfica, tornando-se um mercado mundial depois de ser uma indústria maioritariamente baseada na Europa. A VARD já desenvolveu vários conceitos dessas unidades e poderá aproveitar a tendência de iniciativas crescentes no espaço de energia renovável, com crescente atividade na Ásia e na América do Norte, bem como os contínuos altos investimentos na Europa.
O principal objetivo da embarcação é transferir pessoal e peças de reposição dentro do parque eólico, enquanto também trabalha como uma unidade base móvel. O projeto é baseado no design "VARD 4 19", desenvolvido pela Vard Design em estreita cooperação com o cliente e os parceiros.

Está altamente focado na otimização do design do casco, segurança, conforto e operabilidade. A propulsão será híbrida com uma solução diesel-elétrica, proporcionando reduções no consumo de combustível, manutenção e emissões, bem como maior capacidade de resposta, regularidade e segurança. O navio tem 84,4 metros de comprimento, e terá capacidade para 87 pessoas em cabines individuais. A nova unidade será construída no estaleiro Vard Vung Tau, no Vietname, com entrega prevista para o primeiro semestre de 2022.

Wärtsilä assina acordo para implantação de tecnologia inovadora de porta de lemes


Fonte//Ficantieri




quinta-feira, 16 de abril de 2020

Cargueiro "Bellatrix" com incendiou-se na costa Italiana

Deflagrou um incendio na casa das máquinas do cargueiro “Bellatrix”, ontem, 15 de abril, na costa da Itália, a cerca de 320 quilómetros a sudeste de Catania. 
Os doze tripulantes foram resgatados.



Depois de ter recebido o alerta, a Guarda Costeira italiana organizou uma missão de busca e salvamento, usando ativos aéreos e de superfície. Além disso, o Centro de Coordenação de Resgate Marítimo da Itália solicitou que todos os navios nas proximidades desviassem o rumo para ajudar.






Os 12 tripulantes do Bellatrix e foram salvos pelo navio de carga “Arife” com bandeira do Panamá, que estava perto.

O navio será rebocado para Aliaga, na Turquia


Patrulha venezuelano afundou depois de colidir com navio de cruzeiro



quarta-feira, 15 de abril de 2020

Stena transforma o “ Stena Saga” em navio-hospital com capacidade para 520 doentes


A Stena RoRo vai converter o seu ferry “Stena Saga” num navio-hospital com espaço para 520 doentes.  A Stena RoRo demorará apenas algumas semanas na conversão, de modo a prepará-lo para fornecer capacidade adicional de assistência médica numa região afetada pelo coronavirus. Tudo está acordado com autoridades da Suécia, Noruega, Dinamarca e Alemanha.


Photo//Wikimedia Commons


Singapura aloja os trabalhadores em navios/acomodação para combater o COVID-19




Quando o serviço de passageiros na rota Oslo, Fredrikshamn efetuado pelo “Stena Saga” está suspenso devido ao coronavírus (covid-19) e restrições de viagem impostas por vários países, a Stena Line transferiu o navio para a empresa irmã Stena RoRo com o objetivo de encontrar um uso alternativo para o navio. Uma das habilidades especializadas da Stena RoRo é a conversão e adaptação de navios às mudanças de requisitos e necessidades. A empresa também tem uma experiência considerável na construção de navios hospitalares.
Atualmente, a Stena RoRo tem em construção, num estaleiro na China, o maior navio-hospital civil do mundo, o “Global Mercy”, em nome da instituição de caridade internacional Mercy Ships", afirmou Per Westling, CEO da Stena RoRo.

O “Stena Saga” possui mais de 590 cabines de passageiros. De acordo com o projeto preparado pela Stena RoRo para converter o ferry em navio hospital, haverá espaço para 520 doentes. “Para atender aos requisitos de assistência médica, precisamos, entre outras coisas, reconstruir o sistema de ventilação, instalar sistemas de alarmes e comunicações e também alterar o mobiliário dos interiores”, diz Rikard Olsson, gestor do projeto da Stena RoRo, que tem experiência substancial com o conceção e construção de navios hospitalares. “Além disso, os doentes e a equipa médica devem poder ficar separados. Podemos fazer o que precisa ser feito em duas a três semanas. ”

No entanto, o ferry convertido não será equipado para tratamento de cuidados intensivos. "A ideia é prestar assistência a doentes de COVID-19 que precisam de cuidados hospitalares, mas não de terapia intensiva", diz Per Westling. “Também pode haver necessidade de camas para doentes que deixaram os cuidados intensivos, mas ainda precisam de cuidados médicos por mais algum tempo. Provavelmente, é principalmente uma questão de poder aliviar a carga em hospitais convencionais. ”
 O “Stena Saga” agora está no porto de Uddevalla e a Stena RoRo está investigando o interesse na capacidade de atendimento que o navio poderia oferecer. Além da Suécia, onde o contato já foi estabelecido com a Agência Sueca de Contingências Civis, o contato também está sendo priorizado com as autoridades da Noruega, Dinamarca e Alemanha.



Arquitetos usam contentores para cápsulas de biocontenção para o COVID-19



Fonte//Prnewswire


terça-feira, 14 de abril de 2020

ABB e HDF fabricam um novo sistema de célula de combustível para navios

A empresa de tecnologia ABB e a Hydrogène de France (HDF), especialista em tecnologias de hidrogénio, assinaram um memorando de entendimento (MOU) para fabricar em conjunto sistemas de células de combustível, capazes de alimentar navios de alto mar, incluindo navios de passageiros.


Fuel-cell
Photo//ABB

Wärtsilä assina acordo para implantação de tecnologia inovadora de porta de lemes



O novo sistema é inspirado na central de células de combustível, que a ABB já desenvolveu em colaboração com a Ballard Power Systems, um fornecedor global de soluções de células de combustível de membrana de troca de prótons.
Será fabricado nas instalações da HDF em Bordeaux, França. "A HDF está muito animada em cooperar com a ABB para montar e produzir sistemas de células de combustível á escala de megawatts para o mercado marítimo baseados na tecnologia Ballard", disse Damien Havard, CEO da HDF.

As células de combustível, que usam uma reação eletroquímica para converter energia química do hidrogénio em eletricidade, são consideradas uma das soluções mais promissoras de combustível verde para navios
Já foi demonstrado que a tecnologia de emissão zero é capaz de alimentar navios que navegam curtas distâncias e de suportar requisitos de energia auxiliar de navios maiores.
"Com a crescente procura por soluções que possibilitem transporte sustentável e responsável, estamos confiantes de que as células a combustível terão um papel importante em ajudar a indústria marítima a atingir as metas de redução de dióxido de carbono", disse Juha Koskela, diretora administrativa da ABB Marine & Ports .

Equinor perfura poço para armazenar Co2 no fundo do mar


Fonte//ABB




segunda-feira, 13 de abril de 2020

A Carnival Cruise Lines mantem a suspensão de cruzeiros até 27 de junho

A Carnival Cruise Lines suspendeu toda a atividade de cruzeiros na América do Norte até 26 de junho de 2020 devido à atual crise COVID-19.
Não ficou bem clarificado se a suspensão foi aplicada a todas as subsidiárias da Carnival Corp., já que cada uma é gerida de forma independente.


Carnival-cruises
Photo//ABC33/40

Singapura aloja os trabalhadores em navios/acomodação para combater o COVID-19


A empresa também informou estar cancelando os itinerários sazonais do Carnival Sunrise fora de Nova York neste verão e outono.
O anúncio da Carnival Cruise Lines ocorre depois que os Centros de Controle de Doenças dos EUA, em 9 de abril, estenderam uma ordem de “não embarcar” para todos os navios de cruzeiro durante 100 dias a partir da data de publicação no Registo Federal ou até que a pandemia do COVID-19 deixe de ser uma emergência de saúde pública ou se o Diretor do CDC rescindir ou modificar a ordem.
Atualmente, existem aproximadamente 100 navios de cruzeiro ainda em cruzeiro, fora dos Estados Unidos, com quase 80.000 tripulantes a bordo, disse o CDC.

As nove subsidiárias de cruzeiros da Carnival Corporation são a Aida Cruises, a Carnival Cruise Lines, a Costa Cruises, Cunard, Holland American Lines, P&O Cruises (Reino Unido), P&O Cruises (Austrália), P&O Cruises (Austrália), Princess Cruises e Seabourn.



Arquitetos usam contentores para cápsulas de biocontenção para o COVID-19



Fonte//gCaptain



domingo, 12 de abril de 2020

Singapura aloja os trabalhadores em navios/acomodação para combater o COVID-19

A Autoridade Marítima e Portuária de Singapura fez uma parceria com a operadora de terminais PSA Singapura, Keppel Offshore & Marine, Bibby Maritime Limited e The Ascott Limited para colocar e gerir dois navios/acomodação para abrigar temporariamente trabalhadores estrangeiros como parte dos esforços de Singapura para conter a disseminação de COVID19. 

Navios-alojamento-em-singapura
Photo//Maritime Eecutive


Arquitetos usam contentores para cápsulas de biocontenção para o COVID-19



A mudança ocorre quando o número de casos COVID-19 nos dormitórios de trabalhadores estrangeiros aumenta, estando até agora quatro dormitórios em quarentena.
O ministro do Desenvolvimento Nacional, Lawrence Wong, afirma que, os trabalhadores estrangeiros que não estão doentes e que trabalham em serviços essenciais, serão alojados separadamente, e serão aplicadas mais medidas, para manter a higiene e o fornecimento de alimentos nos dormitórios existentes. 

Tripulações estão retidas nos navios devido ao bloqueio do COVID-19


Os alojamentos flutuantes são normalmente utilizados na acomodação de trabalhadores offshore e podem abrigar cerca de 500 pessoas. Espera-se que estejam operacionais nos próximos dias.
Todos os trabalhadores estrangeiros terão que passar por exames de saúde antes do embarque e, de acordo com as elevadas medidas de distanciamento adotadas para todo o país, também terão que seguir rigorosas medidas de saúde pública estabelecidas pelo Ministério da Saúde, minimizando a interação com outros ocupantes. 

Será também instalado, numa zona próxima, em terra, um centro médico, operado por enfermeiros e médicos da Fullerton Healthcare, para garantir que o suporte médico esteja disponível. Também serão instaladas instalações de isolamento.


MS "Greg Mortimer" com 60% de infetados com o COVID-19





sexta-feira, 10 de abril de 2020

Arquitetos usam contentores para cápsulas de biocontenção para o COVID-19

Os arquitetos italianos Carlo Ratti e Italo Rota em cooperação com o estúdio de engenharia Jacobs e ao estúdio digital Squint / Opera, projetaram uma unidade de terapia intensiva utilizando contentores marítimos, que pode ser adicionada aos hospitais que combatem a pandemia do COVID-19.


Batizada como “Unidades Conectadas para Doenças Respiratórias” , ou CURA, que é a palavra latina para cura, as cápsulas de biocontenção foram projetadas para aumentar a capacidade de terapia intensiva do país.

O objetivo é que eles possam ser implantados rapidamente em cidades por todo o mundo, respondendo prontamente à falta de espaço nos cuidados intensivos dos hospitais e à disseminação da doença”, explicou a equipe do CURA.






A primeira unidade protótipo está sendo construída num hospital de Milão, que é uma das cidades que tem no momento a maioria dos casos de Covid-19.

Tripulações estão retidas nos navios devido ao bloqueio do COVID-19



Referencia//Dezeen -YouTube




quinta-feira, 9 de abril de 2020

MS "Greg Mortimer" com 60% de infetados com o COVID-19

Depois de testar todo o pessoal a bordo, as autoridades médicas uruguaias determinaram que 60% das pessoas a bordo do navio de cruzeiro MS “ Greg Mortimer” possuem o COVID-19, segundo a operadora Aurora Expeditions.


Greg-mortimer
Photo //Ian Duddy

Tripulações estão retidas nos navios devido ao bloqueio do COVID-19



Seis pessoas já foram evacuadas e estão em condições estáveis. Foram feitos testes todos, tanto passageiros como tripulantes, e verificou-se que 81 dos 217 tinham COVID-19. Novos testes foram realizados aumentando o número de positivos para 128, ou cerca de seis pessoas em cada dez. Não há casos de febre a bordo e todos os casos positivos são assintomáticos, de acordo com a Aurora Expeditions. 
Todos os passageiros australianos e neozelandeses do navio provavelmente irão para casa num avião fretado no final desta semana, disse Aurora em comunicado, incluindo aqueles que são positivos para COVID-19. Os passageiros positivos e negativos seguirão sentados em compartimentos separados do avião. A empresa pediu ao governo australiano que aceite esses passageiros por um período de quarentena de 14 dias em solo australiano, e os Serviços de Fronteira da Austrália já conseguiu instalações em Melbourne para esse fim.

A aeronave é um Airbus A340 fretado, que foi modificado especialmente para servir como um avião médico. A tarifa aérea estimada por passageiro seria de cerca de US $ 9.200. Dada essa despesa exagerada, Aurora pediu auxílio ao governo australiano com os custos e está
A empresa também está tentando acordos para repatriar cidadãos americanos e europeus que deram positivo. No entanto, primeiro, eles terão que esperar até ter um resultado negativo. Todos os passageiros positivos para COVID-19 nos EUA e UE permanecerão a bordo do navio e serão testados novamente a cada 2-3 dias, dependendo da disponibilidade do laboratório. Quando esses passageiros COVID-positivos começarem a dar negativo, serão transportados de avião via São Paulo.
Marcelo Gilard, diretor de atendimento pré-hospitalar da empresa privada de saúde uruguaia CASMU, disse à  Rádio Uruguay que espera que o número de casos a bordo do navio aumente com o passar do tempo.
 O Dr. Gilard r embarcou no MS “Greg Mortimer” como coordenador de uma equipe de avaliação médica.



Fonte//Maritime Executive