domingo, 15 de março de 2020

MS Braemar não consegue porto para atracar por ter coronavirus a bordo


O MS “Braemar” da Fred Olsen Cruise Lines.com 682 passageiros e 381 tripulantes, e com, pelo menos, cinco casos confirmados de coronavírus a bordo está desesperadamente procurando um lugar para atracar depois de ter sido recusada a entrada em vários portos do Caribe.
As autoridades britânicas fazem um intenso esforço diplomático para encontrar um país disposto a receber o MS “Braemar”.


Photo CNN

Celestyal Cruises interrompe cruzeiros devido ao COVID-19


Vinte passageiros e outros 20 membros da tripulação, incluindo um médico, estão isolados após exibir sintomas do tipo gripe.
O MS “Braemar” está ancorado a cerca de 40 quilômetros da costa, nas Bahamas, aguardando autorização do governo local para ser abastecido de alimentos, combustível e medicamentos. Alem disso irão embarcar e dois médicos e duas enfermeiras que estão se preparando para ajudar a equipe médica a bordo.
O navio, chegou às Bahamas no sábado. As autoridades impediram-no de atracar, mas recebeu permissão para ancorar no sudoeste de Freeport.
"Nenhum outro porto do Caribe estava disposto a aceitar o navio por causa das sensibilidades locais em relação ao coronavírus COVID-19", informou a empresa em comunicado.


Fontes do governo britânico estão a tentar encontrar um porto adequado para o MS “Braemar” sendo Cuba a opção mais provável. Um plano para permitir que o navio voltasse ao Reino Unido foi posto de parte por motivos práticos, devido à distância envolvida e à saúde dos passageiros.
Uma porta-voz de Fred Olsen disse à CNN que todas as opções para onde ir estavam sendo consideradas, incluindo o regresso ao ponto de partida em Southampton, no Reino Unido.
Os passageiros do MS “Braemar” são predominantemente britânicos, mas também incluem cidadãos canadenses, australianos, belgas, colombianos, irlandeses, italianos, japoneses, holandeses, neozelandeses, noruegueses e suecos.



Celestyal Cruises interrompe cruzeiros devido ao COVID-19


Fonte//CNN



Sem comentários:

Publicar um comentário