quinta-feira, 19 de março de 2020

Movimentação de contentores normalizada na China


A Associação da Indústria de Contentores da China (CCIA) afirmou que a recuperação dos movimentos de contentores na China está progredindo rapidamente.
Num relatório divulgado em 18 de março de 2020, a CCIA disse que, em 10 de março de 2020, os portos, barcaças, ferrovias e transportes multimodal da China retomaram o trabalho, enquanto a capacidade operacional de camiões e instalações de armazenamento é de cerca de 90%.


Porto-de-xangai
Photo//Mar e Marinheiros

A China é agora a maior proprietária de navios porta-contentores



As pesquisas da CCIA mostraram que, mesmo quando os casos do Covid-19 estavam aumentando na China, portos e ferrovias, especialmente aqueles que atendiam a remessas de contentores China-Europa, continuavam em operação, a fim de facilitar o movimento de equipamentos de proteção e artigos médicos. No entanto, as instalações na província de Hubei, o epicentro original da pandemia, levaram mais tempo para retomar o trabalho.
Outras consultorias estimaram que o surto atrasou o embarque de 17 milhões de TEU e US $ 6 biliões em receita aos operadores de linha.

Os porta-contentores que ligam a China á Europa estão agora operando em 90% em relação á época anterior ao Covid-19, e 85% desses navios reiniciaram os serviços.
O vice-presidente executivo da CCIA, Li Muyuan, disse que desde o início de fevereiro a associação acompanha o impacto do vírus na indústria e o progresso da retomada do trabalho dos fabricantes.
Li disse que nas últimas três semanas, tudo exceto em Hubei, o regresso ao trabalho vem ganhando força rapidamente em todo o país. Muitas restrições à retomada do trabalho estão sendo gradualmente suspensas.

No entanto, com o epicentro do Covid-19 mudou-se para a Europa e o subsequente bloqueio do continente e de outros países. A China está impondo obrigações de quarentena aos navios que chegam da Coreia do Sul, Irão, Reino Unido e da União Europeia. Essas medidas aplicam-se a navios que fazem escala nos dois portos de contentores mais movimentados da China, Xangai e Ningbo-Zhoushan.


Marítimos enfrentam desafios sem precedentes devido ao coronavírus





Sem comentários:

Publicar um comentário