terça-feira, 25 de fevereiro de 2020

MS “Roald Amundsen” atingiu o ponto mais a sul no Círculo Antártico

O navio de expedição da Hurtigruten MS “Roald Amundsen” atravessou o Círculo Antártico e chegou a 70º sul na semana passada, o ponto mais a sul atingido por um navio da Hurtigruten nos 127 anos de atividade em cruzeiros.
O capitão Torry Sakkariassen e sua tripulação conduziram a embarcação até á parede de gelo a 19 de fevereiro.


MS-Roald-Amundsen-antardica
Photo Hurtigruten

MS “Roald Amundsen” batizado na Antártica


A circunferência do Círculo Antártico é de aproximadamente 16.000 quilómetros. A área ao sul do Círculo é de cerca de 20 milhões de quilómetros quadrados e cobre aproximadamente quatro por cento da superfície da Terra.

O MS “Roald Amundsen” é o primeiro navio de cruzeiro híbrido elétrico do mundo, equipado com grandes baterias e um casco reforçado para gelo, que lhe permite operar em áreas que outros navios não podem alcançar. Seu navio irmão, MS “Fridtjof Nansen”, também funcionará em um sistema híbrido de propulsão elétrica e embarcará em sua viagem inaugural nesta primavera. Depois da entrega do MS “Fridtjof Nansen”deve ser iniciada uma, nova construção em 2021.



Circulo-antartico


O “Fridtjof Nansen”, da Hurtigruten, concluiu as provas de mar


O MS “Roald Amundsen” fez história como o primeiro navio de cruzeiro nomeado na Antártica em 7 de novembro do ano passado. Ele foi batizado pela pioneira polar e madrinha Karin Strand na baía de Chiriguano, na ilha de Brabant, na Antártica. Fez também história no verão passado como o primeiro navio de cruzeiro a navegar com bateria e como o primeiro navio híbrido movido a eletricidade a atravessar a Passagem Noroeste.

O MS “Roald Amundsen” completará mais um cruzeiro na região antes de navegar pela América do Sul e Central para passar o verão no Alasca.

O primeiro navio de cruzeiro híbrido-elétrico do mundo



Fonte//Hurtigruten



Sem comentários:

Publicar um comentário