domingo, 23 de fevereiro de 2020

Marítimos enfrentam desafios sem precedentes devido ao coronavírus

Os armadores e as tripulações dos navios estão enfrentando corajosamente desafios sem precedentes devido ao surto de coronavírus (COVID-19) na China.
O transporte marítimo foi prejudicado pela disseminação do vírus no último mês, que viu grandes partes da economia chinesa fecharem por longos períodos. Isso está repercutindo globalmente na cadeia de abastecimentos e nos negócios e devastou as taxas de frete e a procura de carga.


Porta-contentores
Photo Gizmodo

Greve total no Porto de Lisboa de 9 a 30 de Março


No entanto, o impacto sobre os que estão na linha de frente dos negócios internacionais, os profissionais que trabalham nos navios que facilitam o comércio global, foi amplamente ignorado.
O capitão Rajesh Unni, CEO e fundador do Synergy Group, com sede em Singapura, um dos principais gestores de navios do mundo, comentou: “Os marítimos estão trabalhando sob enorme pressão e fazendo um trabalho incrível, mantendo o comércio mundial em movimento. Mas muitos estão, compreensivelmente, ansiosos sobre quando poderão ver as famílias novamente por causa das restrições às mudanças de tripulação e aos períodos de quarentena que são impostos à chegada a alguns países. ”
O vírus mortal viu severas restrições impostas aos marítimos que faziam escala nos portos da região Ásia-Pacífico.

A tripulação que administra a frota comercial mundial de navios-tanque, graneleiros transportadores de mercadorias e navios porta-contentores não tem permissão para deixar navios quando faz escala em portos da China, o epicentro do vírus.
As restrições que impedem a tripulação de deixar o navio ou negam o acesso dos marítimos a um visto na chegada também estão em vigor em vários países, incluindo Singapura, Indonésia, Malásia, Filipinas, Rússia, Austrália e Coreia do Sul.
A logística de gerenciar a tripulação muda quando existem restrições em muitos países, em alguns casos, desviou embarcações para portos intermediários, onde é possível a mudanças de tripulação.
A Synergy emprega aproximadamente 10.000 marítimos e gere uma frota diversificada de quase 300 navios, incluindo alguns dos mais sofisticados navios porta-contentores e transportadores de gás em operação.

NYK e MOL encomendam os primeiros graneleiros de carvão movidas a GNL do mundo



Os seus escritórios em todo o Pacífico Asiático estão trabalhando em estreita colaboração com as autoridades de saúde pública para garantir a conformidade com as precauções e medidas de saúde, incluindo quarentena.
Foram também disponibilizados serviços de aconselhamento tanto para os funcionários da Synergy como para a comunidade maritima em geral, por meio da linha de atendimento gratuito iCall de bem-estar mental da empresa.
A equipe da Synergy foi aconselhada a reduzir o contato com o pessoal e seguir as precauções padrão, incluindo a manutenção de meticulosos regimes de higiene pessoal, conforme recomendado pelas autoridades do coronavírus.
O fato de a epidemia de coronavírus ter afetado mais pessoas, mais rapidamente do que o surto de SARS há 17 anos é extremamente preocupante por isso têm que ser cumpridos todos os planos de contingência, incluindo procedimentos de controlo de infeção, em vigor.


Velas semelhantes a asas vão ajudar navios a economizar combustível





Sem comentários:

Publicar um comentário