quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

"Viking Energy" será o primeiro navio do mundo movido a amónia


Um novo projeto que promete lançar o primeiro navio de abastecimento offshore movido a amónia do mundo recebeu grande financiamento da União Europeia, preparando o terreno para testes de combustível sem carbono até 2024.
A gigante de energia norueguesa Equinor informou na quinta-feira que adjudicou à Eidesvik Offshore um contrato para converter o seu navio de abastecimento offshore “Viking Energy” com uma célula de combustível de amónia de 2 MW. 



Viking-Energy
Photo Wärtsilä

Os navios movidos a energia nuclear



O contrato abrange um período de cinco anos, começando em abril de 2020, durante o qual a embarcação será alvo de mais pesquisas e desenvolvimentos, levando à instalação e testes de longa distância de células a combustível de amónia sem carbono. A tecnologia está programada para ser testada no navio a partir de 2024, transportando géneros para as instalações na plataforma continental norueguesa.

O projeto, chamado ShipFC, é administrado por um consórcio de 14 empresas e instituições europeias e é coordenado pela organização norueguesa NCE Maritime CleanTech. O projeto acaba de receber 10 milhões de euros em apoio ao programa de pesquisa e inovação da UE Horizonte 2020.
Espera-se que o sistema de células de combustível de amónia seja instalado no “Viking Energy” no final de 2023.Construído em 2003, a “Viking Energy “foi o primeiro navio oceânico a operar com combustível GNL.

A célula de combustível será testada em terra num projeto paralelo e o desenvolvimento e construção serão realizados pela Prototech. Os testes serão executados no Sustainable Energy Norwegian Catapult Centre.
O sistema de amónia do navio será fornecido pela Wärtsilä.
.

Ulstein projeta navio a hidrogénio para operações offshore



Projeto para navios autónomos recebe financiamento da UE



Fonte//Equinor


Sem comentários:

Publicar um comentário