domingo, 5 de janeiro de 2020

Os armadores que apostaram nos depuradores poderão ter «ganhos substanciais»


O tão esperado IMO 2020 já chegou prometendo revolucionar o paradigma energético do transporte marítimo.
Segundo uma análise efetuada pela consultora Poten & Partners, as transportadoras marítimas que apostaram na instalação dos depuradores (ou scrubbers) podem entrar em 2020 com ganhos, comparativamente aos que optaram por utilizar os combustíveis alternativos.


Depurador
Photo Seatrade

Os purificadores são a melhor opção para as restrições da IMO


«Do total da frota comercial, cerca de 1% é alimentado por Gás Natural Liquefeito (GNL), que já é um combustível compatível com as normas da IMO. Além disso, vários milhares de navios por todo o mundo que já têm depuradores instalados e espera-se que as instalações continuem durante 2020», afirmou a consultora Poten & Partners.
 A maioria dos armadores optou por utilizar óleos com baixo teor de enxofre, VLFSO para cumprir com as normas do IMO 2020 em que permite o limite máximo de 0,5% de enxofre no combustível marítimo.
Embora não se espere escassez de combustível compatível, antecipa a Poten & Partners, os que compram o combustível sem contrato com os fornecedores podem pagar preços elevados.

A baixa dos preços do óleo combustível com alto teor de enxofre, HSFO, significa um aumento no spread do combustível, que vai beneficiar os armadores que investiram milhões na instalação de scrubbers nos seus navios,


IMO 2020, a grande mudança dos transportes marítimos


Referencia //RevistaCargo


Sem comentários:

Publicar um comentário