sexta-feira, 31 de janeiro de 2020

A Amónia pode vir a ser o combustível marítimo alternativo

Na 72.ª reunião do Comité de Proteção Ambiental Marinha (MEPC), foi adotado um esboço da estratégia inicial para reduzir as emissões de gases de efeito estufa para os navios da IMO.
A IMO estabeleceu uma visão para se concentrar continuamente na redução de emissões de gases de efeito estufa no transporte internacional e eliminar as emissões de gases de efeito estufa o mais rápido possível neste século, e para atingir essas metas foram determinadas as seguintes formas.

 
Navio-propulsionado-a-amonia
Photo c-job.

Samgung projeta células de combustível a GNL para navios




 1) Reduzir os níveis de carbono dos navios através da implementação de outras fases do índice de projeto de eficiência energética (EEDI) para novos navios

2) Reduzir as emissões de CO2, no transporte internacional, em pelo menos 40% até 2030, prosseguindo esforços para 70% até 2050.

3) Reduzir as emissões de GEE do transporte internacional o mais rápido possível e reduzir o total anual de emissões de GEE em pelo menos 50% até 2050.

Prevê-se que alcançar o objetivo de reduzir as emissões de gases de efeito estufa será difícil ao usar combustíveis fósseis e que as mudanças no combustível dos navios serão inevitáveis ​​a longo prazo, sendo necessário para isso uma estratégia inicial onde se incluem: “Desenvolvimento e busca de reservas de combustíveis livres de carbono ou fósseis.” Os biocombustíveis, hidrogénio, metanol e amónia são mencionados como combustíveis alternativos, especialmente amónia, que possuem características de armazenamento relativamente superiores às do hidrogénio e são considerados neutros em carbono, sendo este o combustível com maior probabilidade de ser utilizado devido à sua baixa dificuldade técnica.



ABB apresenta estação flutuante de abastecimento de combustível limpo



Fonte//krs


quinta-feira, 30 de janeiro de 2020

Austal vai construir um novo ferry catamarã de alta velocidade


O construtor de navios Austal irá construir um ferry catamarã de alta velocidade com 41 metros para a STGM Mauritius, no valor de 10,7 milhões de dolares.

Passenger-express-41
Photo Austal


A construção será realizada no novo estaleiro da Austal no Vietname. O ferry terá como base um projeto já existente da Austal, o catamarã Passenger Express 41, que pode transportar 400 passageiros em dois decks e atingir uma velocidade máxima de 31,5 nós. Serão efetuadas algumas modificações ao projeto, a pedido do cliente, antes do início da construção programado para março de 2020.

O STGM opera três embarcações de passageiros entre as ilhas do arquipélago das Comores, na costa da África, transportando mais de 100.000 passageiros anualmente. O catamarã será o primeiro ferry de construção nova do operador.
Michel Labourdere, diretor do STGM afirmou que tendo já a experiencia do excelente desempenho do Ntringui Express (Austal Hull 58), que foi originalmente entregue no Japão em 1997 e comprado pela STGM em 2013.


Fonte//Austal




quarta-feira, 29 de janeiro de 2020

O pior naufrágio da história marítima ocorreu á 75 anos


Há 75 anos, um navio da Alemanha Nazi, transportando militares e refugiados, foi torpedeado, afundando-se e levando consigo cerca de 9400 pessoas, 5 mil dos quais, crianças.


Wilhelm-Gustloff
Photo Wikimedia Commons

Colisão entre petroleiro e barco de pesca faz um morto e dois desaparecidos



Em janeiro de 1945, este navio alemão foi atingido por três torpedos no Mar Báltico enquanto participava da evacuação de civis, militares e oficiais nazis que estavam cercados pelo Exército Vermelho na antiga Prússia Oriental.
A missão do navio era evacuar milhares de alemães que fugiam das tropas soviéticas durante a Segunda Guerra. O transatlântico "WilhelmGustloff" era navio de cruzeiro mais avançado do mundo, com 208,5 metros de comprimento e 25 mil toneladas e capacidade para 1880 pessoas, entre passageiros e tripulantes.

Wilhelm-Gustloff
Photo Getty Images

Cinco mortos em naufrágio no mar de Bering



Na noite de 30 de Janeiro de 1945, quando navegava nas águas geladas do Mar Báltico o navio foi atingido por três torpedos, afundando-se em menos de 45 minutos. Estima-se que 9.400 pessoas morreram no desastre, tornando-se a maior perda de vidas conhecida da história marítima.




terça-feira, 28 de janeiro de 2020

Os novos super ferries da P&O Ferries

Os novos navios de 230 metros de comprimento terão um design de extremidade dupla com duas pontes de navegação, o que eliminará a necessidade de se movimentarem nos portos e economizar tempo e combustível. Além disso, as representações mostram uma nova forma de casco nunca vista antes num ferry de passageiros do Canal da Mancha. Também existem áreas externas do deck e janelas em alguns decks de passageiros para oferecer vistas panorâmicas.


Novos-super-ferries
Photo P&O Ferries

“Volcan de Tagoro” premiado como o ferry mais rápido e moderno do mundo


"Essas imagens notáveis ​​oferecem uma antecipação do que nossos clientes experimentarão quando viajarem entre a Grã-Bretanha e a Europa nos navios mais sustentáveis, confiáveis ​​e amigáveis ​​que já navegaram na rota", afirmou David Stretch, diretor administrativo da P&O Ferries.
Projetado pelos arquitetos navais OSK-ShipTech, serão construídos pelo estaleiro chinês Guangzhou International e o primeiro deve entrar em serviço em 2023. Terão um custo total de 260 milhões de euros (US $ 286 milhões)

Os navios serão propulsionados por uma combinação de combustível e bateria, o que reduzirá o uso de combustível em 40%. Toda a energia excedente gerada pelos motores será armazenada na bateria, permitindo que eles carreguem quando houver um excesso de energia e a utilizem quando for necessária. Outras tecnologias ecológicas incluirão um sistema de recuperação de calor que economizará, além de um sistema de gestão de energia para fechar com eficiência partes do navio quando não forem usadas.

Finnlines encomenda dois ferries ecológicos Superstar ro-pax


O novo ferry da Stena Line já navega rumo ao mar da Irlanda


Fonte//Cruiseandferry


segunda-feira, 27 de janeiro de 2020

Atracação difícil do MS Nordnorge no norte da Noruega

Os navios por vezes têm que suportar situações muito difíceis e perigosas. As manobras de atracação são por vezes bem complicadas sobretudo quando em situação de ventos laterais fortes.

O vídeo, foi filmado a 21 de janeiro, mostra o navio de expedição da Hurtigruten “MS Nordnorge” atracando em Bodø, na Noruega. Como se pode ver, o capitão usa a âncora do navio para aguentar o navio, travando a deslocação e permitindo uma aproximação mais suave ao cais, ganhando grandes elogios nas redes sociais.



O “MS Nordnorge”, de 123,3 metros e 11.384 toneladas de peso bruto, foi construído em 1997 e remodelado em 2016, e opera em cruzeiros de expedição para até 590 passageiros dentro do Círculo Artico.
Esta porém, não foi a sua primeira atracação nestas condições, já em 2016, o mesmo navio fez uma manobra muito parecida como pode ver no vídeo abaixo.







Martifer recebe encomenda para quatro navios de cruzeiro para a Mystic Cruises


Fonte//GCaptain


domingo, 26 de janeiro de 2020

Sanmar concluiu o rebocador Nº 200

A construtora naval turca Sanmar lançou seu primeiro rebocador com o sistema de propulsão hidráulica da Caterpillar, que desacopla a velocidade de rotação do motor e permite ao operador usar os motores auxiliar e principal para propulsão. 
Ao mesmo tempo comemorou a construção do rebocador nº 200, em 25 de atividade.


Rebocador-verde
Photo Sanmar

Novo rebocador híbrido RAL Christens TundRA 'Vilja'


O sistema CAT AVD consiste em um par de transmissões de entrada dupla e variáveis ​​ ​​localizadas nas linhas de eixo entre os motores principais e os acionamentos Z. O AVD oferece muitas das vantagens do diesel-elétrico, mas com menor custo, de acordo com a Cat.
O AVD incorpora um conjunto de engrenagens planetárias que permite o acoplamento perfeito da embreagem dos motores principais, motores auxiliares ou ambos para fornecer uma instalação de energia escalável. A eficiência do motor pode ser alcançada, resultando em economia de combustível de 15 a 20%. Basicamente, todos os benefícios de um sistema de propulsão elétrica a diesel de velocidade variável (DEP) por uma fração do custo e tamanho.

O "Bo? Açay XXXVIII" foi pintado com um casco verde-claro e flores coloridas no casario, inspirado na gravura " Flowers " de Andy Warhol . A decoração foi selecionada para refletir o crescente foco em operações ecológicas, tendo como propósito atrair a atenção no mundo geralmente da estética dos rebocadores!


Porto de Antuérpia encomenda rebocador movido a hidrogénio


Fonte//SanMar


sábado, 25 de janeiro de 2020

Wärtsilä fornece o equipamento a 3 novos rol-on rol-off movidos a GNL

A Wärtsilä fornecerá todo o equipamento principal para as primeiras embarcações Ro-Lo (roll-on, lift-off) alimentadas a GNL, a serem operadas pela Bore, sediada na Finlândia para o transporte de produtos de papel na Europa.


Rol-on-rol-off-Wärtsilä
Photo Wärtsilä

NYK e MOL encomendam os primeiros graneleiros de carvão movidas a GNL do mundo


A Wärtsilä trabalhou com os arquitetos navais e proprietário para desenvolver um sistema de GNL integrado otimizado para embarcações. Como resultado, foi possível localizar um sistema Wärtsilä LNGPac de 250 cbm abaixo do convés, sem comprometer a capacidade de carga. Os navios foram encomendados e estão sendo construídos no estaleiro WuHu, na China.

Cada navio será equipado com os controles Wärtsilä ProTouch e Eco Control para permitir a rotação do motor e o passo da hélice precisamente sincronizados. Essas tecnologias integradas serão suportadas pela Unidade de Recolha de Dados (WDCU) da Wärtsilä com serviços baseados em nuvem e monitorização remota para otimizar a operabilidade, economia de combustível e manutenção periódica.

Com 120 metros de comprimento, classificados na classe 1A de gelo, serão afretados para a empresa florestal finlandesa UPM e operarão nos mares do Báltico e do Norte. Prevê-se a entrega do primeiro navio a meados de 2021.

“MSC Europa” será o primeiro navio do mundo com células de combustível a GNL


Fonte//Wärtsilä


sexta-feira, 24 de janeiro de 2020

A RMS Titanic Inc pretende recuperar o equipamento de rádio Marconi do “Titanic”

A RMS Titanic Inc., empresa de salvamento e exibição que se descreve como "o mordomo exclusivo da RMS Titanic", planeia realizar outra expedição ao “Titanic” para recuperar materiais do local dos destroços, e, pela primeira vez, levar um artefacto do interior do navio.
A RMS Titanic Inc. tem os direitos, segundo a lei do Almirantado, para resgate no local e recuperou cerca de 5.500 artefactos desde seu primeiro mergulho em 1987. Sua última expedição ao local foi em 2010, quando concluiu uma pesquisa em vídeo 3D do navio.


Destroços-do-Titanic
Photo Google images


Num tribunal federal apresentado nesta semana, a empresa solicitou o direito de recuperar o equipamento rádio, sem fio Marconi do “Titanic”, que está em compartimentos no convés superior. Uma visita recente constatou que a embarcação está se deteriorando mais rapidamente do que o esperado devido a uma combinação de correntes, bactérias que consomem ferro e corrosão da água salgada, e a RMS Titanic Inc., demonstrou preocupação de que a sala de rádio da embarcação possa em breve ser destruída “enterrando para sempre os restos da rádio mais famosa do mundo”.

Em 1912, época do naufrágio do “Titanic”, o radio Marconi era uma tecnologia relativamente nova no transporte marítimo, e o sinal SOS do navio tornou-se parte da historia do naufrágio. O operador de rádio do “Titanic”, Jack Phillips, permaneceu em seu posto e continuou a transmitir um sinal de socorro (alternando SOS com o antigo código "CQD") até que a embarcação ficou sem energia elétrica. Ele não sobreviveu ao naufrágio, mas seus esforços trouxeram a assistência de navios como o “Carpathia”, que salvou cerca de 700 passageiros e tripulantes. Sem a transmissão sem fio, seria improvável que tivesse havido algum tipo de resgate a tempo.




O pedido da RMS Titanic Inc. de recuperar o rádio ocorre quase ao mesmo tempo que a entrada em vigor de um novo tratado para proteger o “Titanic” . Os EUA e o Reino Unido ratificaram um acordo que dá às nações o direito de regular as operações de turismo e salvamento no local dos destroços. Até agora, o “Titanic” estava sujeito apenas à lei do Almirantado e às proteções oferecidas como património da UNESCO.

quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

"Viking Energy" será o primeiro navio do mundo movido a amónia


Um novo projeto que promete lançar o primeiro navio de abastecimento offshore movido a amónia do mundo recebeu grande financiamento da União Europeia, preparando o terreno para testes de combustível sem carbono até 2024.
A gigante de energia norueguesa Equinor informou na quinta-feira que adjudicou à Eidesvik Offshore um contrato para converter o seu navio de abastecimento offshore “Viking Energy” com uma célula de combustível de amónia de 2 MW. 



Viking-Energy
Photo Wärtsilä

Os navios movidos a energia nuclear



O contrato abrange um período de cinco anos, começando em abril de 2020, durante o qual a embarcação será alvo de mais pesquisas e desenvolvimentos, levando à instalação e testes de longa distância de células a combustível de amónia sem carbono. A tecnologia está programada para ser testada no navio a partir de 2024, transportando géneros para as instalações na plataforma continental norueguesa.

O projeto, chamado ShipFC, é administrado por um consórcio de 14 empresas e instituições europeias e é coordenado pela organização norueguesa NCE Maritime CleanTech. O projeto acaba de receber 10 milhões de euros em apoio ao programa de pesquisa e inovação da UE Horizonte 2020.
Espera-se que o sistema de células de combustível de amónia seja instalado no “Viking Energy” no final de 2023.Construído em 2003, a “Viking Energy “foi o primeiro navio oceânico a operar com combustível GNL.

A célula de combustível será testada em terra num projeto paralelo e o desenvolvimento e construção serão realizados pela Prototech. Os testes serão executados no Sustainable Energy Norwegian Catapult Centre.
O sistema de amónia do navio será fornecido pela Wärtsilä.
.

Ulstein projeta navio a hidrogénio para operações offshore



Projeto para navios autónomos recebe financiamento da UE



Fonte//Equinor


quarta-feira, 22 de janeiro de 2020

Projeto para navios autónomos recebe financiamento da UE


A União Europeia financiou em mais de 20 milhões de euros um projeto pioneiro na Noruega para o avanço da tecnologia autónoma de navios.
O financiamento, um dos maiores na Noruega, ajudará o projeto AUTOSHIP, que tentará demonstrar o uso de duas embarcações autónomas no setor de transporte marítimo de curta distância e vias navegáveis ​​interiores da Europa.


Eidsvaag-Pioneer,
Photo Kongsberg

C-Job apresenta draga autônoma submersível


Liderado pela empresa de tecnologia marítima KONGSBERG com a organização de pesquisa norueguesa SINTEF, o projeto AUTOSHIP terá como objetivo testar e desenvolver tecnologias-chave ligadas a sistemas de navegação totalmente autónomos, sistemas de máquinas inteligentes, auto diagnóstico, prognóstico e programação de operações e tecnologia de comunicação. O projeto também criará também, um roteiro para a comercialização de viagens autónomas na UE nos próximos cinco anos.


O financiamento está ao abrigo do programa de pesquisa da UE “Horizonte 2020”, bem como pelo Conselho de Pesquisa da Noruega.
“O projeto AUTOSHIP trará ao norte da Europa e á Noruega uma vantagem no desenvolvimento da próxima geração de embarcações autónomas, na corrida internacional. A tecnologia contribui para operações marítimas mais seguras, mais eficientes e sustentáveis, tanto no transporte quanto na aquicultura.
O navio de carga geral da Eidsvaag Shipping, "Eidsvaag Pioneer", será um dos dois navios usados ​​no projeto AUTOSHIP. A embarcação será equipada com sistemas de transporte marítimo autónomo e operados remotamente enquanto estiver operando ao longo da costa norueguesa e em áreas vulneráveis ​​do fiorde, onde transporta ração de peixe para as fazendas de aquicultura.

Wärtsilä procede a atualizações híbridas a dois navios de abastecimento offshore



A segunda embarcação a ser usada no projeto será uma barcaça belga de transporte de paletes pertencente à Blue Line Logistics NV. O navio opera em canais na Europa, transportando mercadorias de e para grandes portos de contentores.
As vias navegáveis ​​interiores da Europa foram identificadas como um setor que pode se beneficiar de grandes ganhos ambientais ao usar novas tecnologias autónomas. Espera-se que apenas uma barcaça autónoma em operação retire cerca de 7.500 camiões das estradas por ano e resultará em reduções no congestionamento do tráfego e nas emissões.

Na Noruega a Norled AS ganhou concurso para a construçao de um ferry movido a hidrogénio






terça-feira, 21 de janeiro de 2020

MSC Cruizes encomenda 2 novos navios a GNL


A MSC Cruizes e o estaleiro Chantiers de l'Atlantique acordaram em construir o terceiro e o quarto navios movidos a GNL. Os dois navios serão entregues em 2025 e 2027, representando um investimento de € 2 biliões. O primeiro navio de classe mundial, o MSC Europa, já está em construção no estaleiro Chantiers de l'Atalantique, em Saint-Nazaire, e será o maior navio operado por uma companhia de cruzeiros europeia quando entrar em serviço em 2022, bem como o primeiro navio movido a GNL a ser construído na França.


MSC-Cruizes
Photo MSC Cruises

“MSC Europa” será o primeiro navio do mundo com células de combustível a GNL


A MSC Cruies e os Chantiers de L'Atlantique também estenderam sua parceria com a assinatura de dois memorandos de entendimento (MoU). O primeiro verá as empresas trabalhando juntas no desenvolvimento de uma nova classe de protótipo de navios de cruzeiro movidos a GNL, com foco em tecnologias ambientais emergentes para ajudar a cumprir as metas das Organizações Marítimas Internacionais para 2030 e 2050. Os quatro navios desta nova classe representam um investimento de € 4 biliões.

O segundo MoU verá o desenvolvimento de outra classe de protótipo de navio, explorando oportunidades para o uso de energia eólica e outras tecnologias no transporte de passageiros.
Os três acordos foram anunciados numa cerimônia realizada no Palácio Matignon, com a presença do primeiro-ministro francês Édouard Philippe; Gianluigi Aponte, fundador e presidente executivo do MSC Group; Pierfrancesco Vago, presidente executivo da MSC Cruises; e Laurent Castaing, gerente geral da Chantiers de l'Atlantique.

A MSC Cruises recentemente tornou-se a primeira grande companhia de cruzeiros neutra em carbono, compensando todas as emissões diretas de dióxido de carbono a partir de 1º de janeiro.




segunda-feira, 20 de janeiro de 2020

Maior guindaste flutuante do mundo monta um modulo numa plataforma offshore

Recorrendo ao maior guindaste flutuante do mundo, o “Sleipnir” , a empresa holandesa de construção naval Heerema, instalou com sucesso os módulos superiores da plataforma para a expansão do campo de Peregrino da Equinor no Brasil. O “Sleipnir”  tem uma capacidade de elevação de 15.300 toneladas.

Photo Equinor

Heavy lift “AAL Bangkok” carregou doze iates entre eles um super-iate de 51 metros



A construção dos módulos topsides do WHP-C começou em 2016 e nas últimas semanas, foram instalados os últimos módulos da plataforma pelo gigantesco “Sleipnir”, guindaste de para cargas pesadas. Agora que os módulos estão instalados, o floatel GranEnergia Olympia ligou-se à plataforma e serão alojamentos adicionais. No total, cerca de 880 funcionários trabalharão no exterior para preparar a plataforma para as operações.


As instalações no local incluem duas plataformas de fundo fixo, WHP-A e WHP-B, que são ligadas por umbilicais a um FPSO. O projeto atual implica a adição de uma terceira plataforma, o WHP-C, que terá alcance suficiente para chegar aos novos reservatórios e adicionar cerca de 270 milhões de barris às reservas do campo.



Fonte//Equinor



domingo, 19 de janeiro de 2020

Viking Cruises lança cruzeiros de expediçao

Viking Cruises deve lançar viagens de expedição com nova marca da Viking Expeditions, e com dois navios construídos para esse fim, a estrear em 2022.
 O “Viking Octantis”  está programado para começar a navegar em janeiro de 2022, em viagens à Antártica e aos Grandes Lagos da América do Norte.
 Um segundo navio de expedição, o “Viking Polaris”, começará a operar em agosto de 2022, fazendo cruzeiros para a Antártica e o Ártico.


Viking-cruises
Photo Viking Cruises

Martifer recebe encomenda para quatro navios de cruzeiro para a Mystic Cruises




Ambos os navios terão capacidade para 378 passageiros em 189 cabines e estão sendo construídos pela Vard, subsidiária norueguesa da Fincantieri. Eles terão a primeira marina a bordo do setor de cruzeiros, que permitirá aos hóspedes embarcar em pequenas embarcações de excursão de dentro do navio. Os navios também contarão com uma variedade de equipamentos de expedição, incluindo dois submarinos de seis passageiros e uma frota de barcos militares do zodíaco.

A Viking fez parceria com várias instituições científicas para desenvolver as viagens. O Scott Polar Research Institute da Universidade de Cambridge é o principal parceiro. Como parte da parceria, os cientistas do instituto realizarão um trabalho de campo a bordo dos navios de  expedição no 'The Laboratory', um espaço de pesquisa de 40 metros quadrados. Os passageiros terão acesso supervisionado ao 'Laboratório' para aprender com os cientistas e participar da pesquisa primária. Investigadores do Cornell Lab of Ornithology e da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica também participarão regularmente de cruzeiros para realizar pesquisas e interagir com os hóspedes.
Os planos da Viking para as viagens de expedição foram revelados num evento em Beverly Hills, EUA. O evento também contou com a nomeação oficial do Viking Jupiter, o mais novo navio da frota oceânica da linha de cruzeiros, da madrinha e soprano Sissel Kyrkjebø.

Estaleiro MV Werften lançou “Crystal Endeavour”



Estaleiro holandês De Hoop lançou "Silver Origin"






sábado, 18 de janeiro de 2020

Rebecca S em manobras no Caniçal


Porta contentores“Rebecca S” em manobras de atracação no porto do Caniçal, na passada quinta-feira quando chegava de Lisboa.


Rebecca-S-no-Caniçal

Grupo Sousa adquire "Rebecca S" ex "Samba"


O "Rebecca S”, é a mais recente aquisição da GS Lines, Grupo Sousa, sendo destacado para a ligação semanal regular Lisboa Caniçal.



Rebecca-S-no-Caniçal


Rebecca-S-no-Caniçal



Estreia do “Rebecca S” no Porto Santo



Rebecca-S-no-Caniçal



O porta contentores está também a efetuar a ligação ao Porto Santo semanalmente, á sexta-feira a noite, para garantir o normal abastecimento da ilha, na ausência do ferry “Lobo Marinho”.



Rebecca-S-no-Caniçal


Rebecca-S-no-Caniçal


Rebecca-S-no-Caniçal

Grupo Sousa aposta em projeto de gás natural nos Açores


Note-se também que além do “Rebecca S” á sexta-feira, o “Funchalense 5” também esta a fazer ligação semanal regular com o Porto Santo, mas á terça-feira, rumando depois para Leixões.




Rebecca-S-no-Caniçal

Pioneiro do Rio e Grupo Sousa adquirem a Svitzer Portugal

Fotos Pedro Amora



sexta-feira, 17 de janeiro de 2020

“Volcan de Tagoro” premiado como o ferry mais rápido e moderno do mundo


O ferry de alta velocidade “Volcán de Tagoro” da Naviera Armas Transmediterranea,, considerado o catamarã mais avançado do mundo, recebeu o premio, Baird Maritime “Best of 2019” Awards, atribuída pela, Baird Maritime.

Volcan-de-Tagoro
Photo Shippax.

Volcan de Tagoro ja viaja para as Canárias


O “Volcan de Tagoro” tem 111 m de comprimento e tem capacidade para 1.184 passageiros, 155 deles em classe executiva e 16 tripulantes, além de uma garagem em dois decks para 215 carros e 595 metros lineares para carga rolada. 
Navega a uma velocidade sustentada de 36 nós, e com menor consumo de combustível e melhor estabilidade, comparativamente aos seus “irmãos” mais velhos, tendo sido construído nos famosos estaleiros da Incat Tasmania, reconhecidos pela construção de excelentes embarcações de alta velocidade
Desde meados de Agosto de 2019 que o ferry liga Las Palmas de Grã Canaria a Santa Cruz de Tenerife, com grande sucesso.




As ligaçoes ferry nas Canárias, reportagem da RTP Madeira


quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

Maré negra atingiu o Porto Santo há 30 anos

Faz hoje, 30 anos que a maré negra provocada pelo NT "Aragon" atingiu as costas do Porto Santo atingindo principalmente a costa leste da ilha. 
Pequenas manchas de crude que encalharam também na praia e na costa norte, mas nada de relevante ao compararmos com as 25 mil toneladas que encalharam na zona da Serra e Fora e Serra de Dentro.



NRP-São-Miguel
Photo Facebook/Navios da Armada

Colisão entre petroleiro e barco de pesca faz um morto e dois desaparecidos



Desde logo foram acionados os meios disponíveis, tendo o Nrp São Miguel da Armada Portuguesa, transportado desde Lisboa centenas de bidões vazios para recolha do crude, assim como outro equipamento.
Mais tarde a seguradora do NT "Aragon" contratou a "TCA Tank Cleaning Amsterdam" para limpeza e transporte para fora da ilha de todos os resíduos.
Desde essa data o Porto Santo dispõe de barreiras flutuantes para contenção de eventuais derrames de combustível.


Bidões-com-crude-recolhido-na-costa
Photo Fotos Sapo

"Grande Baltimora" apreendido por suspeita de transportar equipamento militar



Ver videos

 RTP Madeira

Porto Santo Antigamente


Cinco mortos em naufrágio no mar de Bering



quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

Colisão entre petroleiro e barco de pesca faz um morto e dois desaparecidos

Na terça-feira, o navio-tanque químico “Bow Fortune” colidiu com o navio de pesca “Pappy's Pride”, perto dos molhes de Galveston, noTexas. A colisão fez com que o navio de pesca se afundasse, estando dois pescadores desaparecidos, segundo a Guarda Costeira dos EUA.



Bow-Fortune
Photo//Odfjell

Baterias de lítio causaram incendio a bordo do “Cosco Pacific”


Às 15h35 de terça-feira, o Serviço de Trafego de Navios Houston-Galveston foi notificado de uma colisão entre o “Pappy's Pride” e o petroleiro químico “Bow Fortune”, nas proximidades dos molhes de Galveston.
Foi de imediato enviados dois barcos de resgate da Station Galveston para local. Dois tripulantes da embarcação de pesca foram resgatados tendo um falecido já no hospital.
Continua a busca pelos dois pescadores desaparecidos e a causa da colisão está sob investigação.

O “Bow Fortune” é um navio químico de bandeira norueguesa construído em 1999. Numa declaração, o operador Odfjell enviou os pêsames à família da vítima.
"No momento do incidente, o Bow Fortune estava entrando a barra com piloto a bordo. No momento do incidente, havia forte neblina na área", consta no comunicado da Odfjell. "Tragicamente, temos a informação de que um dos quatro tripulantes a bordo do barco de pesca perdeu a vida. Estamos tristes com essas informações e desejamos expressar nossas sinceras condolências à sua família. Também estamos profundamente preocupados que dois ainda estão desaparecidos. A Odfjell leva esse assunto muito a sério. Juntamente com o clube de P&I Gard, cooperamos totalmente com as autoridades dos EUA para garantir que iniciamos todas as ações necessárias ".


Cinco mortos em naufrágio no mar de Bering



Fonte//MaritimeExecutive


.

terça-feira, 14 de janeiro de 2020

"Stena Estrid" efetuou ontem a sua viagem inaugural entre Holyhead e Dublin

O novo ro-pax  “Stena Estrid” da Stena Line entrou ao serviço na rota de Holyhead / Dublin entre o País de Gales e a Irlanda, tendo na sua primeira viagem saído de Holyhead às 8h55 do dia 13 de janeiro.


Photo StenaLine

O novo ferry da Stena Line já navega rumo ao mar da Irlanda



Durante a travessia, com duração de três horas e 15 minutos, os passageiros poderão desfrutar de uma variedade de instalações, incluindo o Sky Bar, um lounge reclinável Hygge e o restaurante Taste. O navio fará sua primeira saida de Dublin às 14h50, navegando duas viagens ida e volta todos os dias.
Com 215 metros de comprimento, o “Stena Estrid” é o maior ro-pax da Stena Line, com espaço para 120 carros e 1.000 passageiros, além de uma capacidade de carga de 3.100 metros. É também o primeiro de três novas ferries que operarão no mar da Irlanda. O “Stena Edda” deverá entrar ao serviço entre Liverpool, e Belfast, nesta primavera, enquanto “Stena Embla” será introduzido na mesma rota no início de 2021.

“Stena Estrid” conclui com sucesso testes no mar na China


Fonte//StenaLine



segunda-feira, 13 de janeiro de 2020

China apreende dois navios devido a violação do IMO 2020


Foram detidos dois navios por estar usando combustível não compatível com a IMO 2020 na China, segundo o The Standard Club .
Os dois navios foram inspecionados pelos inspetores da Administração de Segurança Marítima da China (MSA), que verificaram que o combustível utilizado excedia o limite global de 0,5% de enxofre.

Navio-poluente
Photo Envolverde

Os armadores que apostaram nos depuradores poderão ter «ganhos substanciais»



O primeiro navio foi rebocado durante uma inspeção do controle do estado do porto em Qingdao, na China, que revelou que o óleo combustível em uso tinha um teor de enxofre de 0,6777%.
O segundo navio foi detido em Xiamen, na China, depois dos inspetores da MSA detetarem o navio usando combustível não autorizado. De acordo com o The Standard Club, o navio estava atracado há quase seis dias depois de ter mudado para um combustível compatível com 2020. No entanto, o relatório observa que é provável que restos de combustível com alto teor de enxofre tenham permanecido no sistema de combustível do motor, resultando em emissões acima do limite da área de controlo de emissões da China de 0,1% de enxofre. O navio foi obrigado a tomar medidas eficazes para purificar o sistema de combustível.

Não ficou esclarecido se a China aplicou multas contra os navios, mas de acordo com o plano de implementação chinês da IMO 2020, o MSA tratará as infrações de acordo com a Lei de Controlo e Prevenção de Poluição Atmosférica da China. O artigo 106 desta lei estabelece que  a multa mínima é de RMB 10.000 (aproximadamente US $ 1.445), e a máxima é de RMB100.000 (aproximadamente US $ 14.452) .
A Administração de Segurança Marítima da China (MSA) estabeleceu a aplicação da IMO 2020 para navios internacionais que entram nas águas da China num aviso divulgado em novembro passado. O aviso também aborda a proibição da China de transportar óleo combustível que não esteja em conformidade a partir de 1 de março de 2020, bem como a descarga de águas provenientes de lavadores de malha aberta, que é proibida a partir de 1 de janeiro de 2020.

IMO 2020, a grande mudança dos transportes marítimos

Os purificadores são a melhor opção para as restrições da IMO