quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Em 2050 60% dos navios utilizarão o GNL como combustível.


O Gás Natural Liquefeito (GNL) tornar-se-á o combustível mais usado na indústria do transporte marítimo em 2050, é a conclusão de um recente estudo elaborado pela sociedade classificadora nórdica DNV GL.


Viking Grace, um dos primeiros navios usar GNL Photo Linde / AGA

“Costa Smeralda”, o primeiro navio da Costa Cruzeiros movido a GNL.


No referido estudo, foram analisados todos os ​​diferentes tipos de combustível, tendo em conta as especificações da frota mundial, que, desde Maio, encontra-se num processo de transformação para se adaptar aos novos limites de enxofre, que entrarão em vigor já no primeiro dia do próximo ano.
Os navios que usam GNL ou preparados para o processo de adaptação (ou retrofitting) posicionaram-se no topo do ranking elaborado pelo estudo, seguidos pelos navios alimentados a baterias, que incluem navios elétricos e híbridos, quase todos ferries. Com o desenvolvimento tecnológico da propulsão elétrica é provável que muitos operadores marítimos optem por esta tecnologia, além de outros sistemas mais flexíveis que poderão ser usados com outros combustíveis.



Os combustíveis que estão atualmente pensados e preparados para alimentar a indústria do transporte marítimo poderão ser os combustíveis do futuro. Segundo a DNV GL, os armadores e operadores terão maior probabilidade de sucesso na redução das emissões poluentes se diversificarem as opções. Apesar disso, o GNL é, cada vez mais, a opção mais procurada no momento.
Um recente estudo sul-coreano revelou que seis em cada dez novos navios encomendados serão alimentados a GNL em 2025. Segundo o relatório, cerca de 60,3% (em 2025) das novas encomendas de navios á escala mundial, serão navios movidos a GNL.





Sem comentários:

Publicar um comentário