domingo, 26 de maio de 2019

Russia lançou o quebra-gelo nuclear "Ural"


 No último sábado a Rússia lançou um navio quebra-gelo nuclear, incluído num ambicioso programa para renovar e expandir sua frota de navios quebra-gelo, tendo como finalidade melhorar sua capacidade de explorar o potencial comercial do Ártico.



Photo  REUTERS / Anton Vaganov

World Explorer, o primeiro navio de cruzeiros construído em Portugal



O navio, o primeiro de um grupo de três, batizado de Ural e que foi lançado de um estaleiro em São Petersburgo, será o maior e mais poderoso quebra-gelo do mundo, depois de concluído
A Rússia está investindo fortemente em novas infraestruturas portuárias e recuperação dos seus portos mais antigos, pois, tendo em conta o aquecimento global, prepara-se para mais tráfego por meio do que chama de Rota Marítima do Norte (NSR), que prevê ser navegável o ano todo.
O Ural deve ser entregue à corporação de energia nuclear estatal russa Rosatom em 2022, depois dos outros dois quebra-gelos da mesma série, Arktika (Arctic) e Sibir (Sibéria), entrarem em operação.
"O Ural, junto com os seus irmãos, é fundamental para o nosso projeto estratégico de abrir o NSR para a atividade durante todo o ano", disse Alexey Likhachev, diretor executivo da Rosatom.

O presidente russo, Vladimir Putin, disse em abril que a Rússia está intensificando a construção de quebra-gelos, com o objetivo de impulsionar significativamente o tráfego de cargas ao longo da costa do Ártico.
A iniciativa é parte de um esforço para fortalecer a presença da Rússia no Alto Norte, disputando o domínio com os tradicionais rivais Canadá, Estados Unidos e Noruega, além da recém-chegada China.

Fincantieri entrega o “Viking Jupiter”



Putin disse que a frota russa do Ártico, em 2035, operaria com pelo menos 13 navios quebra-gelo, nove dos quais seriam movidos por reatores nucleares.
O Ártico mantém reservas de petróleo e gás equivalentes a 412 mil milhões de barris de petróleo, cerca de 22% do petróleo e gás não explorados no mundo, segundo estimativas do US Geological Survey.
A Rússia espera que a rota que vai de Murmansk ao Estreito de Bering, perto do Alasca, possa se tornar um caminho muito procurado, uma vez que reduz o tempo de transporte marítimo da Ásia para a Europa.
Projetado para ser tripulado por 75 pessoas, o Ural será capaz navegar com gelo até cerca de 3 metros de espessura.

(c) Copyright Thomson Reuters 2019.


“Superstar”, o novo conceito dos ro-pax da Finnlines


Fonte//Gcaptain

Sem comentários:

Publicar um comentário