segunda-feira, 15 de abril de 2019

Seabourn Odyssey regressa ao Porto Santo


Um ano passado desde a sua ultima escala no Porto Santo, o navio “Seabourn Odissey” da Seabourn Cruise Line voltou á ilha dourada, tendo sido recebido por um tempo estival, com mar calmo, sem vento e muito sol, o que decerto foi do agrado das centenas de passageiros que, desembarcaram e conheceram a ilha.





Fundeou a cerca de uma milha a sudoeste do porto, pois, devido às suas dimensões, não pode atracar no porto do Porto Santo.



Midnatsol regressa ao Porto Santo




O desembarque dos passageiros foi feito com recurso às baleeiras do navio num constante vaivém entre o navio e a marina.
O navio fundeou ás 07h e saiu ás 17h com destino a Lisboa



Guindaste tomba sobre o “Oasis of the Seas”




Para breve as células de combustível para o mercado dos cruzeiros


Características

Nome:  MS Seabourn Odyssey
Proprietário:      Carnival Corporation & plc
Operador:          Seabourn Cruise Line
Porto de registo:             Nassau Bahamas
Projetado por:  Studio Engineering Srl
Construtor:        T. Mariotti
Batizado:             Junho de 2009
Tonelagem:       32 346 toneladas brutas
Comprimento:  650 pés (200 m)
Boca:     84 pés (26 m)
Calado: 21 pés (6,4 m)
Decks:  11
Velocidade:       21 nós (39 km / h)
Capacidade:       450 passageiros
Tripulação:         335
IMO:  9417086
MMSI:  309416000
Indicativo:  C6XC6




Para breve as células de combustível para o mercado dos cruzeiros

domingo, 7 de abril de 2019

Midnatsol regressa ao Porto Santo


Mais uma vez, o navio “Midnatsol” do operador norueguês “Hurtigruten", visitou á Ilha Dourada.
Apesar de se sentir um pouco de vento as temperaturas estão agradaveis com o sol a brilhar, pelo que se espera e deseja uma estadia agradavel as passageiros do "Midnatsol"







Guindaste tomba sobre o “Oasis of the Seas”




Proveniente da Praia a Vitoria, o navio agenciado pela Blatas Lda, atracou as 13.30, tendo saída prevista para o Funchal ás 22.00h.






Características

Nome:  Midnatsol
Operador :Hurtigruten
Porto de registo: Tromsø , Noruega
Tonelagem Bruta: 16151
Porte bruto: 1 184 T
Comprimento;135 m
Boca: 21 m
Ano de construção:  2003
IMO:  9247728
MMSI:  258595000
Indicativo:  LMDH3
Velocidade 15 nos





Novo navio X-Bow para a Lindblad Expeditions

terça-feira, 2 de abril de 2019

Guindaste tomba sobre o “Oasis of the Seas”


Um guindaste de grande porte caiu em cima do maior navio de cruzeiros do mundo numa doca flutuante no estaleiro Grand Bahama, resultando em ferimentos em alguns funcionários e avultados danos.


O ”Oasis of the Seas” da Royal Caribbean, de 225 mil toneladas, estava no estaleiro No. 2 do estaleiro quando ocorreu o acidente.
A doca seca flutuante nº 2 do Grand Bahama Shipyard, com 300 metros de comprimento por 58,5 metros de largura, é o maior de três docas flutuantes do estaleiro. A doca está equipada com quatro grandes pontes rolantes. O Grand Bahama Shipyard está localizado em Freeport, Grand Bahama, Bahamas, a apenas 100 milhas a leste de Miami, na Flórida.

O “Oasis of the Seas” chegou em Freeport em 31 de março para reparações estando programado sair de Port Canaveral, Flórida, num cruzeiro de catorze noites para Barcelona, ​​Espanha, a 21 de abril, devendo fazer a época de verão no oeste do Mediterrâneo antes de voltar a Miami em novembro de 2019.





Construído em 2009, o “Oasis of the Seas”, de 400 metros, é o principal navio da classe Oasis da Royal Caribbean, que é o maior navio de cruzeiros do mundo.

Fonte//GCaptain


Passageiros doentes obrigam o “Oasis of the Seas” a regressar ao porto


domingo, 31 de março de 2019

Para breve as células de combustível para o mercado dos cruzeiros


A General Electric (GE) Power Conversion e a Nedstack, fabricante de células de combustível, fizeram uma parceria para desenvolver sistemas de célula de combustível a hidrogênio para alimentar embarcações de cruzeiro de zero emissões.
O objetivo final da GE e da Nedstack é criar um sistema onde as emissões sejam realmente zero, que permitirá colocar os navios de cruzeiro não poluentes e sustentáveis.

Photo Pixabay

As novas tecnologias podem tornar os navios cada vez mais ecologicos


A indústria dos cruzeiros também tem a sua parte na responsabilidade de eliminar os possíveis impactos negativos nas comunidades portuárias, a saúde dos passageiros e da equipe e no meio ambiente.
Os transportes ambientalmente limpos não são apenas necessários, mas contribuirão grandemente para a qualidade da própria experiência do cruzeiro, acreditam as duas empresas.
Os armadores já estão sob pressão para cumprir a regulamentação da redução dos limites de enxofre que entra em vigor no próximo ano. Tanto a Organização Marítima Internacional (IMO) como os regulamentos dos portos e países, exigem que os navios reduzam as emissões ou as eliminem completamente.
As soluções para energia limpa existentes estão focadas na redução de emissões, mas é preciso elimina-las e isso exige uma mudança de paradigma ”, disse Arnoud van de Bree, CEO da Nedstack.
"Por isso, a GE e a Nedstack têm trabalhado intensamente em colocar nos navios a tecnologia de células de combustível para criar uma alternativa de emissões zero que realmente atenda às necessidades da indústria de cruzeiros num futuro proximo" , acrescentou ele.
"Estamos orgulhosos de trabalhar com a Nedstack no que acreditamos ser uma mudança total na indústria de cruzeiros" , destacou Ed Torres, CEO da Marine e da O & G, divisão de Conversão de Energia da GE.


Photo Pixabay

Na Noruega a Norled AS ganhou concurso para a construçao de um ferry movido a hidrogénio


Esta parceria reúne um enorme conjunto de conhecimentos que está liderando a inovação necessária. Dada a mudança do panorama regulatório do setor de transportes e transporte marítimo, essa inovação não poderia ser mais oportuna ”, disse ele.
A dupla prevê o uso dessa tecnologia em navios de passageiros, substituindo os tradicionais motores a diesel por células de combustível e o combustível pesado (HFO) por hidrogênio. Até agora, a Nedstack e a GE projetaram o conceito de uma célula de hidrogênio de dois megawatts num navio de expedição. O resultado foi positivo, segundo as empresas.

Os navios estão sendo cada vez mais obrigados a desligar seus motores no porto. Já vimos isso na Califórnia, por exemplo, e a China introduziu uma área de controlo de emissões no delta do Yangtsé. No entanto, a tendência é mudar da redução de emissões para a eliminação total ” , observou Azeez Mohammed, Presidente e CEO do negócio de Conversão de Energia da GE.



Vêm aí navios alimentados a hidrogénio



terça-feira, 26 de março de 2019

COSCO Shipping projeta navio para 25 mil TEU


A terceira maior operadora do mundo em contentores, está a projetar a construção de um novo porta contentores com capacidade para 25 mil TEU. O projeto já foi aprovado pela a Shanghai Ship and Shipping Research Institute (SSSRI), empresa de construção naval estatal chinesa.

Photo Wikimedia 


CMA CGM vai testar o uso de biocombustível marítimo sustentável



Segundo a SSSRI, empresa subsidiária da COSCO, especializada em projetos de design e construção de navios, os planos referentes ao novo ULCV foram aprovados no passado dia 8 de Março. Este projeto, batizado de “25, 000-Class Container Ship Type Development “, é a alavanca que a China necessita para alcançar a meta que ambiciona de se tornar uma super potência marítima nos próximos anos.

É também de salientar a importância deste novo passo no contexto das mega-iniciativas estratégicas do país em termos internacionais.
A China fez um investimento de cerca de mil milhões de dólares para agilizar e acelerar o livre comércio e as ligações entre o Oriente e a Europa, e a Made in China 2025, o plano através do qual Pequim pretende tornar-se um centro mundial de produtos de alta qualidade.


Atualmente, a COSCO está envolvida na alienação do terminal de contentores do Porto de Long Beach. 



Transinsular efetuará transporte inter-ilhas em Cabo Verde

sábado, 23 de março de 2019

Viking Sky em apuros da costa da Noruega


O navio de cruzeiros da Viking Ocean Cruises, “Viking Sky” esteve em perigo devido ao mau tempo, e a uma avaria, na costa oeste da Noruega. As equipas de busca e resgate evacuaram as cerca de 1300 pessoas com recurso a helicópteros. O navio esteve fundeado a cerca de 2 km da costa.


Photo Gcaptain

Grande America abandonado com incendio a bordo


O “Viking Sky” teve uma avaria mecânica hoje na costa da Noruega, debaixo de mau tempo.
Várias embarcações e quatro helicópteros participaram na operação de resgate. As autoridades iniciaram a retirada dos 1300 passageiros e membros da tripulação do navio, por via aérea. "
O incidente ocorreu a cerca de 2,5 milhas náuticas da área de Møre og Romsdal (oeste da Noruega).
A ondulação era de 6 a 8 metros de altura, e o vento era de 38 nós, de acordo com o Instituto Meteorológico Norueguês.
Mais tarde, a tripulação conseguiu reiniciar um motor e arrancaram indo o navio em direçao a porto seguro.
O Viking Sky , construído em 2017, pertence à Viking Ocean Cruises, parte do grupo Viking Cruises, fundado pelo bilionário norueguês Torstein Hagen






Características

Nome:  Viking Sky
Proprietário: Viking Ocean Cruises
Operador: Viking Ocean Cruises
Porto de registo: Bergen
Construtor: Fincantieri
Lançado: 23 de março de 2016
Batizado: Junho de 2017
Concluído:26 de janeiro de 2017
Viagem inaugural: 25 de fevereiro de 2017
Indicativo de chamada : LAYU7
Número IMO :  9650420
Número MMSI : 259186000
Tonelagem: 47.800  GT
Comprimento: 227,28 m
Boca:26,68 m
Calado: 6,65 m
Decks:14
Propulsao: 4 motores diesel MAN, 23.520 quilowatts (31.540 cv)
Velocidade: 20 nós (37 km / h)
Capacidade: 930 passageiros



Segundo o AIS do navio, ás 23.30h depois de se ter afastado da costa, o Viking Sky estava imobilizado, escoltado por quatro rebocadores.




O navio "Murueta" choca com cais de Barranquilla

terça-feira, 19 de março de 2019

“Sea Amazon” transporta viaturas para o Azores Rallye 2019

O navio ro-ro “Sea Amazon” carregou no passado dia 14 de Março, no Terminal Ro-Ro do Porto de Setúbal, as viaturas de competição e de apoio, onde se incluem dois helicópteros, que irão participar no Azores Rallye 2019, tendo seguido para Ponta Delgada onde chegou no dia 17 cerca das 20h locais, com cerca de 12 horas de atraso em relação ao previsto, procedendo-se logo de seguida às operações logísticas e administrativas para o desembarque das viaturas e dos helicópteros.

Sea Amazon descarregando em Ponta Delgada,
Photo: JornalAçores9/Nuno gomes/

“Superstar”, o novo conceito dos ro-pax da Finnlines





O Azores Rallye 2019 (ex-Azores Airlines Rallye) é primeira prova da edição de 2019 do Campeonato da Europa de Ralis FIA ERC (FIA-Fédération Internationale de l’Automobile; ERC- European Rally Championship),

Promovido pelo canal de desporto mundial ‘Eurosport’ que transmite as classificativas, o Azores Rallye 2019 é um evento internacional, com provas em pisos de terra e asfalto, é considerado pelos responsáveis do ERC um dos mais espetaculares ralis do calendário


Photo MarineTraffic

Ropax "Express 4" o ferry da ultima geraçao

Características

Nome SEA AMAZON
Tipo Ro-Ro  
Bandeira Malta Bandeira de Malta
IMO: 9104263
MMSI:  248497000
Indicativo: 9HA2388
Bandeira: Malta [MT]
Tonelagem Bruta: 5954
Porte bruto: 4910 t
Comprimento de fora a fora 134.66m
Boca: 22.4m
Calado: 5,6 m
Velocidade Max : 20,4 kn
Ano de construção: 1995



Novo Catamarã da Naviera Armas começa a operar em Junho próximo